Vigias cobram valorização da função

O cargo de vigia está entrando em extinção na Prefeitura de Joinville. Novas vagas não são mais oferecidas em concurso e os funcionários em serviço têm normalmente mais de 15 anos de função. A situação dos vigias não é exclusividade, mas acabam caindo em esquecimento pela administração municipal. Na última sexta-feira (25/3), 20 vigias estiveram no Sinsej para mostrar suas reivindicações e organizar sua luta junto ao sindicato. Eles cobram a regularização do expediente em pontos facultativos e a perda salarial gerada pelo reenquadramento após o novo plano de carreira.

O sindicato lembra que independente da situação da função o servidor não pode ser deixado de lado. “O fato do cargo ser extinto não pode significar que a carreira do servidor deve acabar”, diz Ulrich Beathalter, presidente do Sinsej. Enquanto o trabalhador estiver na ativa deve ter acesso a todos seus direitos, inclusive o de reivindicar. O grupo que participou da reunião se mostrou articulado e disposta a ir para luta. “Se for para entrar em greve, paramos amanha”, foi um dos consensos do grupo.

Situações como essa não devem ser defendidas como luta de uma parcela da categoria. Os servidores precisam saber que essa é uma reivindicação coletiva. Todas as áreas têm carências de benefícios, seja salarial ou de condições de trabalho.

Vigias querem valorização da função

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 14 =