Reajuste em Garuva não encerra Campanha Salarial

Luta pelas demais reivindicações continua

O Prefeito de Garuva, João Romão, continua desrespeitando o direito constitucional de organização sindical dos servidores municipais. Ele concedeu um reajuste salarial de 10,33%, mas ignorou os outros 13 itens da Pauta de Reivindicações construída coletivamente pela categoria e não quis atender o Sinsej. Ao invés disso, o prefeito chamou a direção da Associação dos Servidores de Garuva, que fechou um acordo em nome dos servidores sem consultá-los.

A campanha salarial deve ser um ato de construção e decisão coletiva, desde a elaboração da pauta de reivindicações até a votação final da proposta apresentada pela Prefeitura. Em Garuva isso não ocorreu.

Além disso, o Sinsej recebeu denúncias de que servidores estariam sendo pressionados a não se filiarem ou a pedirem a desfiliação do sindicato. A organização sindical é direito de todo trabalhador, previsto na Constituição Federal, e não pode ser punida de nenhuma forma.

Para enfrentar esses problemas e fortalecer a luta por melhores salários e condições de trabalho é preciso filiar-se ao sindicato e participar de todas as atividades e assembleias.

A concessão do reajuste não encerra nossa luta pela revisão dos pisos salariais; pelos 33,33% de hora atividade previstos na Lei do Piso do Magistério; pela regulamentação das transferências; pagamento de insalubridade sobre o vencimento e não sobre o salário mínimo; entre outros tantos direitos hoje desrespeitados.

Filie-se ao Sinsej!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 3 =