Votação do 14º da educação está marcada

É preciso pressionar por quórum

O projeto de lei que concede abono aos servidores lotados na Secretaria de Educação de Joinville vai a voto no dia 27 de dezembro, às 16 horas. A data foi marcada após forte pressão exercida sobre o presidente da Câmara de Vereadores, Odir Nunes (PSD). Agora, é preciso garantir o quórum da sessão e o voto favorável dos parlamentares.

O projeto do abono, conhecido com 14º da educação, estava na Casa desde segunda-feira (17/12). Como as sessões ordinárias da Câmara acabaram no dia 13, o prefeito Carlito Merss enviou também a solicitação de uma extraordinária. A partir daí estava nas mãos de Nunes, que esteve incomunicável até ontem.

Por esse motivo, o Sinsej iniciou uma campanha de cobrança do presidente da Câmara, orientando os servidores a tentarem entrar em contato ele. Ao mesmo tempo, o vereador Adilson Mariano (PT) começou a coletar assinaturas de outros parlamentares em um requerimento para que a sessão extraordinária fosse convocada. O objetivo foi alcançado no final da tarde de ontem quando Mariano já tinha quatro assinaturas. Porém, ainda há o risco de não haver quórum. Para que a sessão aconteça é preciso que no mínimo 10 vereadores estejam presentes.

Agora, o Sinsej orienta os servidores a entrarem em contato com os vereadores, pedindo a presença na sessão e o voto favorável ao projeto. O contato de cada parlamentar está em seu blog oficial, que pode ser acessado por meio do site da Câmara (no link “vereadores”).

O projeto define um abono no valor de 50% da remuneração de dezembro dos trabalhadores. Se aprovado, ele poderá ser pago até o dia 20 de janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + nove =