Conselho do Ipreville aprova parcelamento de dívida

O conselho administrativo do Ipreville o aprovou o parcelamento da dívida da Prefeitura durante a reunião realizada na manhã desta segunda-feira (14). Com o voto favorável de todos os conselheiros, a dívida de mais de R$ 22 milhões foi dividida em 60 parcelas de cerca de R$380 mil. O Sinsej, representado pelo presidente do sindicato, Ulrich Beathalter, foi o único voto contrário.

O sindicato apresentou uma carta a todos os conselheiros solicitando que eles votassem a favor dos servidores e contra o parcelamento. A posição do Sinsej foi decida em assembleia com os servidores no último dia 9. O desejo da categoria foi de que a Prefeitura realizasse o pagamento integral da dívida, para não colocar em risco a previdência dos trabalhadores. A entidade alerta que medidas como essas tornam cada vez mais frágil a saúde financeira, o futuro do instituto e, consequentemente, a aposentadoria dos mais de 11 mil servidores da ativa. Mesmo reconhecendo como ideal a proposta do Sinsej, o conselho – eleito pela categoria em agosto de 2012 – acompanhou a solicitação da prefeitura.

Veja aqui o documento na íntegra

Com mais este parcelamento, a dívida mensal da Prefeitura com o Ipreville ultrapassa R$ 2,1 milhões mensais. No mês de março deve ser apresentado o mais recente cálculo atuarial, que mede a saúde e as perspectivas financeira do instituto. Os reflexos deste parcelamento deverão estar presentes nesse balanço. A expectativa é de que, somado aos outros parcelamentos ainda correntes, o instituto apresente déficit no próximo período.

A dívida corresponde a cota patronal de contribuição previdenciária de 2012, dos meses de outubro a dezembro e 13º salário, não repassados pelo Executivo Municipal e de outras relações que o Ipreville possui com a Prefeitura, como alugueis de imóveis e parcelas de alienação do imóvel da Expoville. O valor total da dívida, que chegou a ser estimado em R$ 30 milhões, permaneceu menor por conta do pagamento integral das parcelas atrasadas de outros parcelamentos e das cotas segurado, que não podem ser parceladas.

Para autorizar definitivamente o parcelamento, a decisão do conselho deve seguir para votação na Câmara de Vereadores. Uma sessão extraordinária deverá ser convocada pelo prefeito na próxima semana.

O Sinsej convoca os servidores a comparecer na Câmara para acompanhar a votação e apresentar aos vereadores a preocupação dos trablhadores com o futuro de nosso instituto de previdência.

<div data-configid=”2141668/1112730″ style=”width: 525px; height: 371px;”></div><script type=”text/javascript” src=”//e.issuu.com/embed.js” async=”true”></script>

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

três + 6 =