Sinsej debate pauta com Prefeito de Itapoá

O Sinsej se reuniu nesta terça-feira (29/1) com o Prefeito de Itapoá, Sergio Aguiar (PMDB). A conversa foi sobre a pauta de reivindicações dos servidores da cidade. Sergio não se comprometeu com nenhum dos pontos apresentados. Ele pediu um prazo de dois meses para tomar conhecimento da situação da prefeitura e estudar a aplicação das cobranças apresentadas.

Reposição das perdas históricas

Um dos assuntos mais debatidos na reunião foi a reposição da perda salarial de 37% acumulada no município desde 1995, segundo estudos do Departamento Intersindical de Estudos e Estatísticas (Dieese). “Essa é uma perda histórica e não podemos esquecer essa defasagem. Precisamos trabalhar essa restituição e avançar no restante da pauta de Itapoá”, lembrou o presidente do sindicato, Ulrich Beathalter. A prefeitura já concedeu um reajuste de 6,2%, que corresponde à inflação dos últimos 12 meses com base no INPC.

“A gente insiste para que a prefeitura trabalhe para fazer a reposição das perdas, pois é isso que valoriza o servidor”, explicou Ulrich aos representantes do governo, “porque abonos e gratificações passam, mas os aumentos incorporados aos salários valem para a contribuição previdenciária e é o que fica.”

Proposta importante

Uma das ideias apresentada pelo Sinsej foi a construção de um calendário de atendimento das reivindicações. Apesar de não ter o documento com as cobranças em mãos, Sérgio afirmou que considera a proposta importante. A pauta aprovada em assembleia foi entregue a todos os candidatos a prefeito durante a campanha eleitoral de 2012.

O chefe do executivo considera possível repor as perdas salariais. Porém, ainda não sabe de que forma e em quanto tempo isso acontecerá. “Se nós conseguirmos fazer essa reposição em quatro anos será muito bom”, explicou Sérgio aos sindicalistas em seu gabinete, “pois não duvido que isso seja possível com a forma que Itapoá poderá crescer nos próximos anos”. Ele afirmou também que está a disposição do sindicato para estudar o atendimento das cobranças.

Pauta extensa

Ulrich também lembrou que todas as 11 questões da pauta são importantes para a categoria. “Nossa pauta é relativamente extensa, mas isso é normal já que o movimento sindical existe apenas há dois anos na cidade”. Além da questão salarial, também foram debatidas a necessidade de colocar em prática as 30 horas semanais, a regulamentação das lotações, a revisão do Estatuto dos Servidores, o vale-alimentação e a revisão da data-base da categoria.

Diretores do Sinsej e Prefeito de Itapoá debateram problemas da categoria em Itapoá. Foto: Johannes Halter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 13 =