Jornada maior dos ESF precisa ser compensada

Aconteceu nesta quinta-feira (30/1) uma nova reunião entre o Sinsej e os trabalhadores do programa Estratégia Saúde da Família (ESF). Decidiu-se a exigência de pagamento de compensação correspondente ao aumento de carga horária. Uma nova reunião está agendada para segunda-feira (4/2), às 18 horas, no Sinsej (o local havia sido anunciado no Sindicato do Mecânicos, mas foi transferido para a sede do Sinsej) para decidir qual atitude os servidores tomarão com o objetivo de pressionar o atendimento da reivindicação pela Prefeitura de Joinville.

Outra reunião já havia acontecido na semana anterior. Nela, debateu-se o problema de aumentar a carga horária sem nenhuma compensação dos servidores que há 18 anos trabalham sete horas. A exigência tem origem em uma determinação do Ministério da Saúde, que passou a cobrar oficialmente a prática de oito horas. Por causa desse problema, de acordo com a prefeitura, o Governo Federal parou de mandar dinheiro relacionado ao programa.

Para o Sinsej, não se pode mexer na jornada de trabalho consolidada ao longo dos anos sem negociar essa mudança. Apesar de a prefeitura ter chamado os trabalhadores e o sindicato para informar as alterações, a entidade considera que é preciso disposição para entrar em um acordo. Isso demonstraria respeito pela categoria e intenção de encontrar a melhor solução para ambos os lados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − 6 =