Arbitrariedade contra secretários de escolas

O setor de Recursos Humanos da Secretaria de Educação de Joinville impôs que todas as escolas municipais terão apenas um secretário escolar. A informação foi repassada aos trabalhadores em uma reunião na manhã de hoje (22/3).

O Sinsej manifesta-se totalmente contrário à medida. Ela vai impor um volume de trabalho desumano a diversos servidores e gerar transferências arbitrárias. Para o diretor do sindicato Jean Almeida, que é secretário escolar, em escolas com mais de 500 alunos é absolutamente impossível que um secretário trabalhe sozinho.

Além disso, em algumas unidades os trabalhadores nesta função cumprem seis ou sete horas e a SEC quer que todos façam oito horas. Esta imposição é totalmente oposta à reivindicação histórica dos trabalhadores de regulamentação de 30 horas semanais para todos.

Toda a categoria tem sofrido duros golpes, com o corte de pontos facultativos, modificação do Calendário Escolar acordado, aumento de carga horária da Estratégia Saúde da Família, corte dos 15 minutos de lanche de quem trabalha seis horas, entre outros.

Diante disso só há uma solução: todos à paralisação do dia 28 de março! Converse com seus colegas, mobilize seu local de trabalho e compareça!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

oito + 17 =