Ceapes fecharam por falta de dinheiro na SE

Aconteceu nesta quarta-feira (27/3) reunião da Secretaria da Educação (SE) com os trabalhadores dos Centros de Apoio Pedagógico (Ceapes) e participação do Sinsej. No encontro, foi entregue uma carta do sindicato endereçada ao secretário Roque Mattei cobrando esclarecimentos sobre as mudanças no ensino especial. Representantes do governo justificaram as alterações, enquanto trabalhadores buscavam esclarecimentos sobre suas condições de trabalho.

A diretora executiva, Anelise Poffo, apresentou os argumentos do Executivo para o fechamento das cinco unidades em que funcionavam os centros e para a decisão de espalhar as equipes em escolas. Segundo o diretor sindical Josiano Godoi, ninguém se convenceu.

Josiano revela que os representantes do governo deixaram escapar o verdadeiro motivo de todo o caso. “Falta de dinheiro liberado para pagar o aluguel dos prédios. A SE não teve a honestidade para dizer a verdade desde o começo. Por isso, inventaram um monte de justificativas para camuflar o real motivo”.

Durante a reunião, Anelise admitiu que a forma das mudanças não foi a mais adequada. O Sinsej divulgou neste mesmo dia uma matéria especial sobre o caso Ceape, em que descreve o método autoritário usado pela Prefeitura de Joinville.

Ao final da reunião foi definida a formação de um grupo de servidores dos Ceapes que terá a tarefa de formular um documento que liste as atribuições desses profissionais e o os objetivos dos serviços que realizam. O resultado desse trabalho será entregue às diretoras das escolas, com o objetivo de esclarecer quais as funções de cada trabalhador e evitar conflitos.

Conheça o caso Ceape na matéria especial “Ensino especial prejudicado por mudanças autoritárias”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

sete + 3 =