4%: prefeitura oferece menos que a inflação

Proposta da prefeitura não prevê ganho real, reajusta abaixo da inflação, ignora vale alimentação e outros pontos importantes da pauta de reivindicações

A Prefeitura de Joinville apresentou proposta de 4% de reajuste na mesa de negociação desta sexta-feira (26/4). Para o Sinsej, o que se oferece é a ampliação das perdas salariais históricas da categoria. Além disso, foi negada a maioria dos itens da Pauta de Reivindicações. Em resposta a algumas das reivindicações mais urgentes, a prefeitura decidiu não alterar o recesso do final de ano e manter o calendário escolar acordado no ano passado.

Para o prefeito Udo Döhler, “a chance é zero” de se reajustar ou ampliar o vale alimentação. Quanto ao salário, a justificativa é de que a prefeitura não tem condições financeiras de conceder sequer a inflação acumulada dos últimos 12 meses que está em 7,21%, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Além disso, Udo recusou uma a uma as reivindicações, que não constam no documento final.

Atualmente o comprometimento da receita corrente líquida pela folha de pagamento é de menos de 47% – sendo que o limite é de 51%. Os argumentos da prefeitura se baseiam em projeções para o próximo período com expectativas de baixo crescimento e no fantasma da Lei de Responsabilidade Fiscal.

“O curioso é que esse discurso é o mesmo que ouvimos durante toda a gestão anterior. As estimativas dos outros anos também sempre eram apresentadas por um cenário negativo”, contrapôs o presidente do Sinsej, Ulrich Beathalter, respondendo o prefeito Udo Döhler, “mas a situação financeira sempre tem se confirmado mais positiva do que o cenário previsto pelos governos.”

O vice-presidente do Sinsej, Tarcisio Tomazoni, alertou sobre a insuficiência do que foi apresentado. “Na hora em que apresentarmos os 4% na assembleia, isso não vai atender a categoria. Por isso, pedimos para que se reconsidere essa posição”. Diante da situação, foi marcada uma reunião para a próxima terça-feira, que poderá trazer novidades.

No dia 6 de maio, às 19 horas, a proposta completa da prefeitura será apresentada em assembleia que acontecerá na Câmara de Vereadores. Na oportunidade, os servidores decidirão se aceitam ou não as propostas e quais os encaminhamentos que serão dados para a Campanha Salarial.

 

Atualmente o comprometimento da receita corrente líquida pela folha de pagamento é de menos de 47%. Foto: Johannes Halter
Atualmente o comprometimento da receita corrente líquida pela folha de pagamento é de menos de 47%. Foto: Johannes Halter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − 8 =