Sinsej apoia greve dos servidores de Florianópolis

O Sinsej esteve representado ontem (02/5) na assembleia dos servidores municipais de Florianópolis, que estão em greve desde a última segunda-feira. O diretor Josiano Godoi declarou solidariedade em nome da base do Sinsej e ressaltou as semelhanças entre as negociações com os prefeitos da capital e de Joinville.

Em Florianópolis, a categoria pede o reajuste da inflação (baseada no maior índice inflacionário dentre cinco apresentados pelo sindicato), o que hoje representaria aproximadamente 8%, mais 5% de aumento real. Porém, em um primeiro momento o prefeito Cesar Sousa Jr. (PSD) ofereceu apenas 6,88% e deixou de lado pontos importantes da pauta de reivindicações, como o envio à Câmara de Vereadores do novo Plano de Carreira do Quadro Civil (PCCS), aplicação integral da Lei do Piso do Magistério, aumento no vale-alimentação, entre outras reivindicações. Este posicionamento levou a categoria à greve e, de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Florianópolis (Sintrasem), cerca de 90% dos locais de trabalho já aderiram ao movimento.

Leia o texto e confira as fotos do primeiro dia de greve

Na assembleia de ontem, a presidente do Sintrasem, Rosangela Soldateli, apresentou uma segunda proposta do Executivo, que elevava o piso da categoria, mas recuava na proposição salarial, oferecendo apenas 4%. Além disso, propunha que durante a implantação do PCCS do Civil a reposição salarial fosse feita baseada no menor índice inflacionário. Na prática isto prejudicaria as Campanhas Salariais dos próximos anos. Diante disto, os trabalhadores decidiram rejeitar a proposta e permanecer em greve.

Godoi informou aos servidores de Florianópolis que em Joinville o prefeito Udo Döhler (PMDB) também ofereceu apenas 4%. Ele explicou que na segunda-feira (6/4) haverá uma assembleia geral em que os trabalhadores devem demonstrar que estão dispostos a seguir o exemplo da capital e ir à luta.

Ontem à noite ocorreria nova rodada de negociação entre a prefeitura e o Sintrasem, mas até o fechamento desta matéria ainda não havia divulgação dos resultados.

O Sintrasem também é filiado à Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a maior parte de sua direção pertence à Corrente Sindical Esquerda Marxista, mesma do Sinsej. Em diversos momentos de luta, como na greve de 2011 e nas eleições sindicais de abril, o Sintrasem prestou solidariedade aos servidores de Joinville, Garuva e Itapoá.

Sinsej prestou solidariedade aos servidores da capital. Foto: Francine Hellmann
Sinsej prestou solidariedade aos servidores da capital. Foto: Francine Hellmann
Servidores decidiram permanecer em greve. Foto Francine Hellmann
Servidores decidiram permanecer em greve. Foto Francine Hellmann
Segunda proposta da prefeitura de Florianópolis foi insuficiente. Foto: Francine Hellmann
Segunda proposta da prefeitura de Florianópolis foi insuficiente. Foto: Francine Hellmann

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + um =