Nova proposta ainda está abaixo da inflação

Em reunião com a diretoria do Sinsej hoje (9/5), o prefeito Udo Döhler refez a proposta salarial, oferecendo 4% a partir da próxima folha, mais 1,5% em novembro. O presidente do sindicato, Ulrich Beathalter, ressaltou que a oferta ainda não repõe nem ao menos a inflação acumulada nos últimos 12 meses. “Para nós, a revisão do reajuste pelo INPC é direito, nem se discute, pois a categoria já perdeu isso ao longo do último ano”, disse. Em relação ao vale-alimentação e aplicação de 33,33% de hora-atividade e não houve mais nenhum avanço.

Sobre o restante da pauta, a prefeitura concordou em estender a gratificação de Pronto Atendimento para todos os servidores destas unidades – até a última reunião ela havia concedido o benefício apenas para os servidores da radiologia.

Quanto à regulamentação da transferência e lotação (item 5 da contraproposta da prefeitura), o sindicato criticou o modelo de decreto preparado pela procuradoria do município. O Sinsej havia entregado uma proposta de texto pronta, mas a prefeitura preparou outra, que na visão dos sindicalistas deixaria a situação ainda pior do que a atual.

Amanhã ocorre nova assembleia para avaliar a proposta e deliberar se haverá greve a partir de segunda-feira. Será às 14 horas, em frente à prefeitura. Os diretores do sindicato deixaram claro que, caso a prefeitura resolva avançar na proposta, eles estão disponíveis para voltar a conversar a qualquer momento até a votação de amanhã.

Sinsej convoca para assembleia. Foto: Francine Hellmann
Sinsej convoca para assembleia. Foto: Francine Hellmann

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um + 10 =