Sinsej apóia a greve dos servidores de São José

O Sindicato dos Servidores Públicos dos Municípios de Joinville, Garuva e Itapoá (Sinsej) declara seu apoio à greve iniciada no dia 21 de maio pelos trabalhadores do serviço municipal de São José, na Grande Florianópolis. Assim como em Joinville, a categoria cruzou os braços diante da insuficiente resposta da prefeita Adelina Dal Pont à Campanha Salarial.

A proposta da prefeitura josefense estipulava revisão de 19% do piso salarial, reajuste de 4% na folha de pagamento e aumento de 26% no Vale Alimentação. Em assembleia no dia 16 de maio, os trabalhadores recusaram a oferta e decidiram entrar em greve. Em nota divulgada pelo Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de São José (Sintram-SJ), os servidores querem propostas e não esclarecimentos.

Dos 45 itens da Pauta de Reivindicações, a Prefeitura de São José se comprometeu a atender apenas um terço. O item mais importante das reivindicações é a reposição salarial. O valor oferecido – 4% – não repõe ao menos a inflação do período – situação idêntica a enfrentada em Joinville. A justificativa anunciada pela prefeitura, coincidentemente a mesma da maior cidade de Santa Catarina, é de que é preciso estar atento à Lei de Responsabilidade Fiscal.

O Sinsej reforça seu apoio aos servidores públicos municipais de São José, que foram forçados pelo próprio governo a fazer valer seu poder de mobilização e organização. Assim como a greve em Joinville continua forte, que os trabalhadores da Prefeitura de São José mantenham-se unidos, organizados e em luta. Esse é o caminho para se conquistar as justas reivindicações de valorização e qualidade dos serviços públicos, as quais são fundamentais para o atendimento da população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − dezesseis =