Petroleiros fazem greve de 24 horas hoje

Escrito por: Sindipetro-NF
Fonte: CUT

Com o movimento, trabalhadores esperam que a Petrobrás reveja a suspensão do pagamento do reflexo das horas extras no repouso

Os petroleiros da Bacia de Campos realizam nesta quinta, 25, greve de 24 horas em caráter de advertência contra decisão da Petrobrás de suspender o pagamento do reflexo das horas extras no repouso, que vinha fazendo há mais de um ano em razão de devisão judicial conquistada pelos trabalhadores. A empresa também se negou a prever na folha de julho o início do pagamento de outros trabalhadores.

A greve foi aprovada por 33 plataformas, entre as 39 que realizaram assembleias até esta tarde. A expectativa do Sindipetro-NF para as próximas horas é a de que as unidades que fizeram assembleia e rejeitaram o indicativo (ou onde houve empate) possam refazê-la para rever a posição e aderir ao movimento, que já está consolidado como indicativo aprovado para todas as plataformas. O sindicato também orienta que as unidades que ainda não fizeram assembleia, que realizem a reunião para aprovar ata de adesão.

A entidade lembra que, nestes momentos, toda a força e unidade da categoria é muito importante para resistir às pressões da empresa, que busca desmobilizar os trabalhadores com boatos gerenciais e comunicados internos. Hoje, por exemplo, a companhia divulgou um documento que tenta convencer o trabalhador de que ela está certa ao cessar o pagamento e em tentar derrubá-lo definitivamente. O sindicato e seu Departamento Jurídico têm demonstrado justamente o contrário.

Procedimentos

Durante a greve será realizada paralisação parcial dos serviços, com realização apenas dos trabalhos que impactem na saúde, na segurança e na habitabilidade. A orientação da diretoria do NF é a de que a operação da plataforma seja entregue aos prepostos da Petrobrás a bordo de cada plataforma (confira as orientações abaixo).

Na segunda, 22, o Sindipetro-NF protocolou um ofício ao Diretor de Exploração e Produção da Petrobrás, José Miranda Formigli Filho, comunicando a decisão da categoria de realizar essa greve de advertência de 24 horas a partir de zero hora do dia 25 de julho de 2013 até as 23h59 do mesmo dia, em todas as plataformas da Bacia de Campos.

“A categoria petroleira não irá mais aceitar a atitudes da Petrobrás de lesar os trabalhadores não pagando o reflexo das horas extras no repouso remunerado com o mesmo valor de um dia de trabalhado, como determina a lei e a ação ganha pelo sindicato e transitada em julgado”, afirma o coordenador do Sindipetro-NF, José Maria Rangel.

A diretoria do Sindipetro-NF lembra que a Petrobrás é uma das empresas campeãs em processos trabalhistas. A companhia usa de todos os artifícios para retardar ao máximo uma execução, principalmente quando esse resultado é negativo para a empresa. Como forma legítima de reação, os trabalhadores utilizam a mobilização e seu poder de pressão sobre a empresa e o Poder Judiciário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze + 10 =