Fábrica de Tubos pode paralisar amanhã

De braços cruzados. Foi assim que a chefia encontrou nesta manhã (3/9) os trabalhadores da Fábrica de Tubos de Joinville. Ontem uma das máquinas quebrou, obrigando os funcionários a iniciarem o serviço em outro equipamento. Porém, devido à forma como a atual gestão calcula o adicional de produtividade, eles não conseguiram atingir a meta do dia. O incidente foi o estopim para a explosão de inconformidade com a forma do cálculo do benefício.

Os servidores paralisados e o Sindicato dos Servidores Públicos dos Municípios de Joinville, Garuva e Itapoá (Sinsej) chamaram um representante do governo e o chefe do local de trabalho para ouvir as demandas do setor. A produção retomada em seguida. Os trabalhadores querem a revisão do cálculo do adicional de produtividade e o aumento do valor recebido.

Segundo o diretor do Sinsej Antônio Félix Mafra, a situação terá desdobramentos amanhã. “Está agendada uma reunião para 10h30 com o governo, o sindicato e cinco representantes escolhidos pelos funcionários. Caso não haja avanços, os trabalhadores irão parar a fábrica”, enfatizou o sindicalista. Após o encontro agendado, os servidores da Fábrica de Tubos irão se reunir em assembleia para decidir se paralisam o serviço novamente.

Confira outras movimentações da Fábrica de Tubos:

Fábrica de Tubos tem problemas com gratificação

Mobilização na Fábrica de Tubos obtém pagamento

Fábrica de tubos paralisada por falta de pagamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − 8 =