Mobilização levou à conquista na Fábrica de Tubos

A lei que regulamenta a gratificação de produtividade dos servidores da Fábrica de Tubos de Joinville será alterada. A mudança vai corrigir uma injustiça que tem sido comum: quando uma máquina quebra ou falta matéria prima, a produção para e os trabalhadores não atingem a meta estipulada para ganharem o adicional.

Na terça-feira (3/9), os servidores resolveram dar uma basta nesta situação, chamaram o sindicato e cruzaram os braços. A mobilização arrancou da chefia o compromisso de solucionar o problema e, em reunião com o Sinsej hoje, o secretário de infraestrutura Romualdo França confirmou que vai mediar com o governo a modificação na lei. A nova proposta de texto será construída pelos diretores do sindicato e chefia imediata da Fábrica de Tubos até o final da próxima semana. Depois disso, o projeto precisa passar pela Procuradoria do Município e Câmara de Vereadores.

A intenção do sindicato é garantir na lei que o servidor não tenha prejuízos quando a produção para por motivos alheios à sua vontade. Além disso, o Sinsej irá propor a revisão do quadro de metas, que também é previsto na lei. Atualmente, são consideradas oito horas diárias de trabalho, mas a jornada no local é de seis horas.

Hoje, ao meio-dia, os diretores do Sinsej voltaram à Fábrica de Tubos para apresentar o resultado da reunião com o secretário. Eles parabenizaram os trabalhadores pela mobilização e alertaram que ainda será preciso acompanhar a tramitação do projeto que irá alterar a lei.

Trabalhadores recebem a confirmação da conquista, resultado de sua mobilização | Foto: Francine Hellmann
Trabalhadores recebem a confirmação da conquista, resultado de sua mobilização | Foto: Francine Hellmann

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − catorze =