Superlotação no Hospital Municipal São José

Condições de trabalho estão precárias I Foto: Francine Hellmann
Condições de trabalho estão precárias I Foto: Francine Hellmann

Servidores do Hospital Municipal São José entraram em contato no sábado (1º/2) com a direção do Sinsej informando superlotação no Pronto Socorro e a consequente falta de condições de trabalho. Por volta do meio-dia, o diretor sindical Tarcísio Tomazoni Júnior se reuniu com os trabalhadores do turno da manhã. Naquele momento havia 48 pacientes sendo atendidos por seis técnicos de enfermagem. Hoje (3/2), às 9h30, este número havia subido para 61. O recomendado é que cada profissional da área atenda no máximo seis pessoas ao mesmo tempo, sobretudo durante o dia.

A direção do sindicato está entrando em contato com a presidência do hospital para tratar da situação. Uma reunião com os trabalhadores está agendada para hoje, às 12h15, em frente à entrada principal. Mais tarde, no mesmo dia, às 19 horas, os servidores do São José estão convocados para uma assembleia setorial que discutirá a Campanha Salarial da categoria.

Devido à superlotação, pacientes estão acomodados nos corredores, sem ar condicionado e com precárias condições de atendimento. Os trabalhadores estão liberados para cumprirem horas extras, mas, devido ao cansaço, muitos não estão conseguindo realizá-las.

Em dezembro passado foi divulgada a abertura de 47 novos leitos no hospital. Porém, logo em seguida foram fechados 36, que funcionavam em local inapropriado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 4 =