Desesperada, Prefeitura mostra verdadeira face

Mesmo com a presença de mais de 6 mil trabalhadores em frente ao seu gabinete durante todo o dia de hoje (19/5), o prefeito Udo Döhler parece preferir o embate à solução do impasse com os servidores municipais. Em nota oficial lançada no início da noite, a Prefeitura ameaça suspender os avanços já concedidos diante do movimento grevista. Uma medida intransigente e desesperada, que dificulta o diálogo com a categoria.

Em nenhum momento, desde que começaram as negociações, a Prefeitura comprovou dificuldades financeiras. Agora, ela aponta a justificativa do período eleitoral. Um argumento mentiroso, já que as eleições federal e estadual deste ano não interferem nas decisões municipais.

Para agravar ainda mais a situação, a administração municipal anuncia também que pretende judicializar a questão, em vez de aumentar os esforços na valorização da categoria e na resolução do movimento grevista. Esta atitude é uma clara ameaça e um ataque direto aos trabalhadores, que estão em seu legítimo direito de greve. Com ela, o prefeito tentar impor uma gestão autoritária e intransigente, em vez de compreender que o movimento de hoje reflete a insatisfação de mais de 70% dos servidores com a gestão. Além disso, acionar a Justiça contra o fechamento de postos de saúde, como propõe a nota, é infundado, visto que a atenção básica não compõe os serviços essenciais.

Desde fevereiro, quando se iniciou a campanha salarial, servidores e sindicato acompanharam as atuais condições financeiras da Prefeitura, bem como seu crescimento na arrecadação. O momento era bom e esperava-se que ele se refletisse na valorização dos trabalhadores. Porém, os avanços nas negociações ficaram muito aquém do esperado.

A postura tomada pela Prefeitura nesta tarde é um sinal de desespero de uma administração que pode, mas não quer valorizar seus trabalhadores. Com essa atitude, a gestão de Udo Döhler coloca mais uma vez sua palavra em jogo, descumprindo os acordos já firmados e colocando na lata do lixo seu discurso de valorização da categoria.

O Sinsej reafirma a decisão da assembleia desta tarde, os servidores municipais estão em greve por tempo indeterminado. O sindicato informa ainda que tomará todas as medidas necessárias para garantir o movimento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

3 + 9 =