SGP impõe desconto aos servidores

A Secretaria de Gestão de Pessoas da Prefeitura de Joinville enviou aos locais de trabalho autorização para descontar os dias parados durante a greve. Esse documento apresentava as opções de desconto em três vezes, nas folhas de julho, agosto e setembro, ou em uma vez, no pagamento do 13º salário. O Sinsej orientou todos os trabalhadores a não assinarem este documento. Isso porque a forma como o documento era apresentado poderia legitimar a desistência da reposição e autorização do desconto, independente do que for negociado posteriormente.

Diante disso, o sindicato elaborou um documento próprio, diferente do proposto pela Prefeitura. Tratava-se de uma declaração de que o trabalhador está disposto a repor as horas paradas durante a greve, mas caso a Prefeitura insistisse no seu atual posicionamento o servidor escolheria entre as opções de desconto que foram descritas. Arbitrariamente, a Gestão de Pessoas negou-se a receber os formulários preenchidos e assinados pelos servidores.

A posição da SGP é equivocada e autoritária. No documento enviado pelo Executivo ao término da greve, o Prefeito Udo Döhler (PMDB) garante ao servidor a livre escolha pela forma do desconto. Em momento algum ficou estabelecido que essa opção teria que ser feito exclusivamente por formulário da Prefeitura, ainda mais com a autorização expressa do desconto. Com essa posição, a secretária Rosane Bonessi cerceia o direito do servidor de se manifestar e também de expedir simplesmente um comunicado ao governo.

Projeto de reposição

O projeto que trata da reposição das horas da greve está atualmente em pauta na Câmara de Vereadores. A Prefeitura reconhece como pontos facultativos os dias 19 e 30 de maio e prevê a compensação dos dias parados entre 20 e 29 de maio. Porém, deseja descontar as horas dos últimos 13 dias de greve.  A pedido do sindicato, o vereador Adilson Mariano (PT) propôs uma emenda ao projeto, estendendo até 12 de junho o período que pode ser reposto, garantindo assim o atendimento da população com a reposição dos procedimentos represados durante a paralisação.

O Sinsej convida todos os servidores a acompanharem a tramitação desse projeto na Câmara, para o que se faz necessária a presença de todos no Legislativo na próxima segunda-feira, a partir das 15 horas. Nossa mobilização poderá, mais uma vez, sensibilizar os vereadores a votar a favor da comunidade joinvilense e da categoria, tão duramente atacada pelas medidas do governo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 + 18 =