Servidores de abrigos paralisaram novamente

Servidores vão manter escala atual de trabalho I Foto: João Diego Leite
Servidores vão manter escala atual de trabalho I Foto: João Diego Leite

Pela segunda vez, os servidores da Casa Abrigo Viva Rosa e do Abrigo Infanto Juvenil de Joinville paralisaram por 24 horas contra a alteração da carga horária que a Prefeitura tenta impor nesses locais. A movimentação começou na segunda-feira (18/8), às 7 horas.

Os servidores iniciaram o dia com concentração em frete à Secretaria de Assistência Social e visitaram unidades de trabalho. Às 11 horas, realizaram uma assembleia, no Sinsej, para avaliar a mobilização. À tarde, os manifestantes foram à Câmara de Vereadores pedir o apoio dos parlamentares. O vice-presidente do Sinsej, Tarcísio Tomazoni Junior, utilizou a tribuna do Legislativo para expor a situação. Ele explicou que o governo pretende aumentar em 40% a jornada nos abrigos, a partir de 1º de setembro, ao invés de contratar mais profissionais. A Comissão de Saúde da Câmara deverá fazer uma visita aos dois locais em breve.

Até o momento, a Prefeitura permanece irredutível em sua decisão de aumentar a jornada de trabalho desses servidores. No entanto, eles decidiram que não irão acatar a imposição e continuarão cumprindo a atual escala de 12 horas de trabalho por 60 de descanso. Ou seja, 120 horas mensais. Essa é a mesma carga horária de diversos outros setores da administração municipal.

No dia 28 de agosto, haverá mais uma assembleia destes trabalhadores, às 15 horas, no Sinsej.

Leia também:

Assistência Social decide por nova paralisação

Assistência Social pode entrar em greve

Paralisação no Abrigo Infanto Juvenil e Viva Rosa

Abrigo infanto Juvenil vai paralisar dia 12

Texto atualizado em 21/8/2014, às 15h44

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − dez =