Falta de segurança resulta em paralisação

Desde 2013 os servidores da Unidade Sanitária são obrigados a atenderem aos pacientes com tuberculose sem o mínimo de proteção. Doença altamente contagiosa, a tuberculose oferece perigo também a todos que frequentam a Unidade, como os acompanhantes.

O que a equipe pede é a aquisição do filtro HEPA. Segundo o diretor do Sinsej, Tarcísio Tomazoni Junior, esse aparelho reduziria drasticamente a chance de contaminação por agentes transmissivos pelo ar, neste caso o bacilo da tuberculose. Para os trabalhadores as chances de contágio são entre 6 e 20 vezes maiores  que a população em geral.

Em virtude da demora dos governos, passado e atual, e dos riscos enfrentados diariamente, os servidores da Unidade marcaram uma paralisação. Será na quinta-feira, 21 de maio, das 7 às 10 horas, na Unidade Sanitária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × dois =