Servidores apresentarão contraproposta

Em assembleia realizada em frente à prefeitura os servidores votaram na contraproposta I Foto: Aline Seitenfus
Em assembleia realizada em frente à prefeitura os servidores votaram na contraproposta I Foto: Aline Seitenfus

Os servidores de Joinville decidiram hoje (29/5) apresentar uma contraproposta ao governo de Joinville. Reunidos em frente à Prefeitura esta manhã, os trabalhadores votaram uma flexibilização dos principais pontos da Pauta e marcaram uma nova assembleia para 8 de junho, no mesmo horário e local. Até lá, a categoria permanece em Estado de Greve. Na próxima segunda-feira, às 14 horas, haverá nova reunião com o prefeito Udo. No mesmo dia, às 19 horas, no Sinsej, ocorre reunião do Conselho de Representantes.

Contraproposta dos servidores:

1 – Reposição integral da inflação, 8,34%, em uma única parcela.

2 – 3% de ganho real parcelado.

3 – Aumento do vale-alimentação para R$ 400.

4 – Manutenção dos demais itens da Pauta de Reivindicações.

O Sinsej acredita que, com a apresentação desta proposta, a categoria dá ao governo e à comunidade uma grande demonstração de disposição para dialogar. O presidente do sindicato, Ulrich Beathalter, ressaltou que a inflação é considerada sagrada, pois é uma corrosão que já incidiu sobre o salário dos trabalhadores ao longo dos últimos 12 meses. Quanto ao vale-alimentação, R$ 400 significa que ambas as partes cederiam aproximadamente R$ 170. Atualmente, este benefício é de R$ 234,36 e a solicitação anterior era elevá-lo para R$ 572.

Dia Nacional de Mobilização

Após a assembleia, os servidores de Joinville uniram-se aos trabalhadores estaduais em educação em greve, representantes de diversas categorias e movimentos sociais em um ato pelo “Dia nacional de paralisações e mobilizações”, convocado pelas centrais sindicais.

Em todo o país na data de hoje, os trabalhadores manifestam-se contra o Projeto de Lei 4330/04, as medidas provisórias 664 e 665 e o ajuste fiscal, em defesa dos direitos e da democracia. O movimento aponta a construção de uma Greve Geral.

A MP 665 restringe o acesso ao seguro desemprego e ao abono salarial, já a MP 664 ataca direitos previdenciários. O PL 4330 amplia as possibilidades de terceirização tanto no setor privado, quanto público. Além disso, o governo federal corta verbas para saúde e educação e aprofunda as privatizações.

Abaixo as MPs 664 e 665! Abaixo o PL da terceirização!

Estabilidade no emprego para todos! Redução da jornada, sem redução de salários!

Petrobras 100% estatal! Reestatização de todas as empresas privatizadas!

Não pagamento das dívidas interna e externa!

Fim do fator previdenciário! Revogação das Reformas da Previdência de FHC e Lula!

Viva a luta internacional da classe trabalhadora! Viva a luta pelo socialismo!

Servidores Apresentarão Contraproposta

Flickr Album Gallery Powered By: WP Frank

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 1 =