Prefeitura continua fingindo que negocia

Apenas com uma grande mobilização conquistaremos nossos direitos I Foto: Jaksson Zanco
Apenas com uma grande mobilização conquistaremos nossos direitos I Foto: Jaksson Zanco

Todos à assembleia dia 8 de junho, às 9 horas, em frente à Prefeitura

Na reunião ocorrida entre o governo e o sindicato na tarde de hoje (1º/6), o prefeito de Joinville seguiu fazendo de conta que negocia. Na semana passada, Udo Döhler foi a público provocar a categoria pedindo flexibilidade nas reivindicações. Na sexta-feira, os servidores demonstraram grande disposição para o diálogo apresentando uma contraproposta. Já a Prefeitura voltou a negar qualquer avanço.

Hoje, após mais de duas horas de discussões, Döhler apenas ofereceu reduzir o parcelamento da inflação de oito para três vezes – em maio, agosto e novembro. No entanto, na prática, esta proposta não representa nenhum avanço, pois o escalonamento continuaria até o final do ano, mantendo o prejuízo aos servidores. Além disso, o prefeito tornou a negar qualquer aumento no vale-alimentação e não abordou nenhum outro ponto da Pauta de Reivindicações.

Döhler agendou mais uma reunião para quarta-feira (3/6), às 16 horas, e afirmou que vai “pensar mais um pouco”. Os servidores fizeram uma paralisação na última sexta-feira e voltarão a se reunir em assembleia na próxima segunda, às 9 horas, em frente à Prefeitura. Ainda hoje, o Conselho de Representantes encontra-se no Sinsej. Para a direção do sindicato, apenas uma mobilização massiva da categoria arrancará do prefeito o que é de direito dos trabalhadores.

Relembre:

1 – Em 1º de abril, os servidores apresentaram ao prefeito uma Pauta de Reivindicações com 20 itens de caráter econômico e 12 cláusulas de direitos sociais. Dentre elas, estava o reajuste da inflação, 5% de ganho real de salário, regulamentação de adicional por formação e qualificação para todos os servidores, equiparação do vale-alimentação com o da Companhia Águas de Joinville (R$ 572) e equiparação do vencimento inicial do magistério ao dos demais cargos de nível superior, iniciando com a correção de 13,01% em toda a tabela conforme reajuste do Piso Nacional deste ano.

2 – Em 19 de maio, após cinco reuniões de negociação, a Prefeitura propôs pagar a inflação parcelada em oito vezes, de maio a dezembro. Outras quatro propostas sociais também foram apresentadas, duas das quais são acordos de greves passadas, que ainda não foram cumpridos por este governo.

3 – Em 29 de maio a categoria aprovou uma contraproposta, flexibilizando os pedidos para a reposição da inflação sem parcelamentos, 3% de ganho real, vale-alimentação de R$ 400 e manutenção dos demais itens da Pauta.

4 – Hoje, a Prefeitura propôs manter o parcelamento da inflação até o final do ano, agora em três parcelas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três − 2 =