Caos no Hospital São José

editada
Servidores irão paralisar na sexta (29) caso a situação não se resolva

Na tarde de ontem (26/1) o Sinsej fez uma denúncia da superlotação do Hospital São José. Havia 74 pacientes internados acima da capacidade de apenas 27 leitos no PS e aproximadamente mais 20 encontravam-se em observação. Além disso, o ar-condicionado do posto de enfermagem e o da sala de emergência de apoio estavam estragados e apenas um banheiro estava em condições de ser utilizado pelos pacientes.

Em reunião com o sindicato, a diretoria do São José informou que o conserto da climatização seria feito ainda no dia 26, também que tomaria medidas de remanejamento de pacientes para o PA Norte e restringiria a entrada no PS apenas aos casos mais graves. Pessoas com possibilidade de aguardar cirurgias em casa seriam liberadas e cirurgias realizadas com agendamento – eletivas – seriam desmarcadas para priorizar o atendimento a quem está no Pronto Socorro.

Porém, nada foi feito. Na manhã desta quinta (27) a situação permanecia a mesma. Em nova conversa com o Sinsej o diretor do hospital, Paulo Manoel de Souza, disse que as peças para conserto do ar ainda não chegaram e que virão de Curitiba. Também não foi realizada nenhuma das outras medidas prometidas.

“O total descaso com servidores e pacientes do São José volta a se repetir e novamente os responsáveis parecem não demonstrar qualquer preocupação”, disse o presidente do Sinsej, Ulrich Beathalter. A categoria decidiu estabelecer um prazo até sexta-feira (29/1) para a solução, caso contrário os servidores do PS irão paralisar as atividades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × três =