Servidores do São José permanecem mobilizados

Durante ato servidores denunciaram que existem leitos vagos no hospital devido a falta de funcionários para auxiliar no atendimento I Foto: Aline Seitenfus
Durante o ato os servidores denunciaram que existem leitos vagos no hospital devido a falta de funcionários para auxiliar no atendimento I Foto: Aline Seitenfus

Os servidores do São José paralisaram novamente suas atividades na manhã de hoje (24/2). Eles lutam contra as demissões de contratados que a Prefeitura começou a fazer na última semana. O prefeito Udo Döhler havia se comprometido na segunda (22/2) a não demitir nenhum contratado além dos 16 já desligados. Porém, observa-se que continuam os desligamentos em postos de saúde e na Educação.

Diante disso, os trabalhadores decidiram que irão levar os problemas enfrentados no hospital para a assembleia geral que acontece no dia 10 de março, às 19 horas, na Câmara de Vereadores. A luta irá continuar de forma coletiva, junto com a Campanha Salarial 2016. Caso a situação não seja revertida, há o indicativo de greve geral a partir da assembleia.

Hoje, às 16 horas, os servidores do São José e a direção do Sinsej foram convidados para participar da Comissão da Saúde, onde a situação do hospital será discutida. Também estarão em pauta outros problemas enfrentados na área da saúde na cidade, como os mutirões da dengue, a falta de remédios e o cancelamento de milhares de consultas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 4 =