Servidores de Itapoá buscam novo Plano de Carreira

DSC_0011
Servidores de Itapoá voltam a discutir Plano de Carreira I Foto: Francine Hellmann

Desde 2011 os servidores têm avançado em diversas conquistas que melhoram as condições de trabalho e, consequentemente, o atendimento à população. A recuperação das perdas salariais históricas é um exemplo. Este ano, apesar da crise financeira que assola vários municípios, a organização e a luta da categoria em Itapoá arrancou ganho real de 1%.

Uma conquista maior ainda, entretanto, foi o novo Estatuto dos Servidores. Aprovado em 2014, ele contém melhorias e adequações na jornada de trabalho, hora-atividade do magistério, férias, adicional por tempo de serviço, vale-transporte e licença-prêmio. Em paralelo ao Estatuto, a categoria discutiu a elaboração de um novo Plano de Cargos, Carreira e Salários, que ainda está em andamento.

Relembre

Em 2013, o sindicato pautou a categoria para discutir a elaboração de novo Estatuto e novo Plano de Carreira. Ficou decidido que o Estatuto seria elaborado primeiro. Em seguida, seria discutido e lutado pela implantação do PCCS.

Em 2015, a elaboração do Plano estava na etapa final quando a Prefeitura cancelou o trabalho da comissão – formada por diretores do Sinsej e servidores da Prefeitura. O motivo alegado pelo governo era a crise.

As discussões foram retomadas em abril deste ano e a expectativa é de que a proposta do novo PCCS seja apresentada à categoria nos próximos meses.

Implantação

Depois deste processo, quando a categoria chegar a um consenso sobre o texto final, o Plano deve ser entregue ao próximo prefeito. É importante ressaltar que sua implantação não poderá mais ser feita em 2016, devido ao período eleitoral.

Para o Sinsej, o que norteia a reformulação do Plano de Carreira é a valorização dos profissionais com a elevação da progressão por tempo de serviço e qualificação.

Para o magistério, o sindicato defende a aplicação do Piso Nacional. Hoje, o salário dos professores está cerca de 30% abaixo do determinado em nível nacional. Quanto ao restante da categoria, a proposta do Sinsej é que toda a tabela salarial anexa ao Plano tenha um reajuste de 20%. Também será proposta diminuição de carga horária para 30 horas semanais, sem redução de salário. A avaliação por desempenho seria eliminada.

Unidade

A proposta do sindicato é unificar os planos de carreira do magistério e do restante do quadro funcional. Isso dará a toda a categoria uma força maior na hora de reivindicar melhorias e estenderá ao restante dos servidores direitos que hoje só são concedidos ao magistério.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 + quinze =