Greve dos servidores de Itapoá continua

DSC_0030
Servidores não aceitam proposta e greve continua I Foto: Francine Hellmann

Os servidores de Itapoá decidiram em assembleia na tarde dessa segunda-feira (13/6) continuar em greve. Pela manhã, o prefeito Sergio Aguiar recebeu a direção do sindicato e servidores pela primeira vez desde o início do movimento, há sete dias, e apresentou uma proposta. Em nova assembleia nesta terça, às 9 horas, os trabalhadores decidirão que resposta vão encaminhar ao governo. Será em frente à Prefeitura.

DSC_0236
Prefeito Sergio Aguiar apresenta primeira proposta I Foto: Kályta Morgana de Lima

Aguiar continua defendendo a tese de que em período pré-eleitoral não é possível conceder mais do que a inflação do ano corrente. Assim, propõe pagar o percentual já acumulado de janeiro a maio de 2016 — 4,59% — dividido em seis vezes. Além disso, seria reposto o percentual acumulado mês a mês.

Na prática, os percentuais de reajuste seriam:

Julho – 0,76 mais índice oficial de junho.

Agosto – 0,76 mais índice oficial de julho.

Setembro – 0,76 mais índice oficial de agosto.

Outubro – 0,76 mais índice oficial de setembro.

Novembro – 0,76 mais índice oficial de outubro.

Dezembro – 0,76 mais índice oficial de novembro.

Janeiro – reajuste com o índice oficial de dezembro.

Também consta na proposta da Prefeitura a não diminuição das gratificações dos servidores públicos, o abono dos dias paralisados pela greve e a retirada da ação do governo contra a entidade sindical. Um último item representa que o prefeito volta atrás nas ameaças de aumento de carga horária dos servidores do Pronto Atendimento, mas não abre mão da economia com o setor: “Os servidores do Pronto Atendimento apresentarão uma proposta ao secretário de saúde até o dia 23/6/2016 para maximizar o atendimento, diminuindo número de funcionários por plantão. Havendo consenso se manterá a escala de 12/48 horas”.

Na assembleia de ontem, os diretores do Sinsej esclareceram aos servidores que, com a aprovação desta proposta, a categoria chegará à campanha salarial do ano que vem com a inflação de 2016 reposta, mas com sete meses do ano de 2015 em aberto.

Imediatamente após a decisão da categoria, o chefe de gabinete Luiz Carlos Zagonel convocou a direção do Sinsej para um reunião. Nela, solicitou o adiamento em 48 horas da convocação do prefeito para comparecer no dia de hoje à sessão do Legislativo, feita pelos vereadores a pedido da categoria. Ele também garantiu que uma nova mesa de negociação será aberta. A pauta da Câmara de Vereadores está trancada desde sexta-feira.

Relembre por que os servidores de Itapoá estão em greve

A campanha salarial dos servidores de Itapoá já havia sido encerrada. Em 28 de março, a categoria aceitou a proposta da Prefeitura de conceder a inflação dividida nos meses de maio e agosto, mais 1% de ganho real na folha de novembro. Porém, três dias depois o governo retirou sua proposta do Legislativo e, após nova negociação, enviou à Câmara projeto com 1% de ganho real, prometendo dividir a inflação nos meses de junho e outubro. Para cumprir a segunda parte do acordo, um novo projeto foi enviado ao Legislativo quando o índice oficial acumulado no período foi divulgado.

No final de maio, no entanto, o prefeito anunciou cortes em gratificações de servidores da saúde que poderiam representar de 30% a 60% do salário desses trabalhadores. Em seguida, no dia 30, ele retirou novamente o projeto de reposição da inflação da Câmara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × dois =