Servidores das ESFs paralisaram

Paralisação aconteceu em frente à Secretaria da Saúde I Foto: Aline Seitenfus
Paralisação aconteceu em frente à Secretaria da Saúde I Foto: Aline Seitenfus

Na manhã de hoje (30/11), os servidores das unidades de Estratégia da Saúde da Família (ESF) paralisaram suas atividades. Um ato foi realizado em frente à Secretaria da Saúde solicitando que a ampliação do atendimento das ESFs só aconteça após a contratação de mais profissionais. Os servidores também se colocaram contra a abertura das unidades durante o horário de almoço, pois faltam funcionários para atender à comunidade.

Durante a paralisação, uma comissão formada por servidores e diretores do Sinsej participou de reunião com as secretárias da Saúde e Gestão de Pessoas. As secretárias se comprometeram a manter o atual horário de atendimento e retomar a discussão após receber das equipes as propostas do que é necessário alterar – estrutura, contratação de novos profissionais – para que a ampliação do horário beneficie funcionários e a comunidade.

Contudo não houve negociação quanto a abertura das unidades durante horário do almoço. Os servidores se dirigiram até a Prefeitura, para tentar continuar as negociações, mas o prefeito não atendeu os trabalhadores. Os profissionais ressaltam que são favoráveis ao aumento do horário de abertura dos postos, mas que, para isso, é necessário ampliar o número de equipes de ESF, sob risco de prejudicar a já insuficiente cobertura da Estratégia.

Por que isso prejudica servidores e a comunidade?

Aumentar o tempo de atendimento das unidades de ESF sem aumentar o número de equipes reduzirá a quantidade de pessoal em cada período. Nos postos onde atuam hoje apenas duas equipes de ESF, haverá somente uma atendendo em 66,7% do tempo – das 7 às 10 horas e das 16 às 19 horas. Aqui, é importante ressaltar que a maior procura por atendimento ocorre sempre pela manhã.

Para amenizar esta carga, as chefias já estão programando a restrição na oferta de serviços nesses períodos em que a equipe estará reduzida, escolhendo, por exemplo, se deixarão abertas a sala de vacinas ou o dispensário de medicamentos. Outros programas destinados à prevenção e acompanhamento periódico da saúde da população precisarão ser restritos, como pré-natal, puericultura (acompanhamento do crescimento de zero a dois anos), preventivo, atendimento a hipertensos e diabéticos.

Encaminhamentos aos servidores

Na próxima segunda (5/12), às 18h30, na Amunesc, os servidores participam de assembleia extraordinária do Conselho Municipal da Saúde, que discutirá a ampliação do atendimento. Na terça (6/12), às 18 horas, os trabalhadores participam de reunião no Sinsej para deliberar sobre assunto. Em pauta, a elaboração da proposta para a ampliação do atendimento, a abertura das unidades no horário do almoço e o resultado da assembleia do Conselho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − seis =