Encerradas as negociações sem avanços para servidores de Joinville

Sexta reunião entre Sinsej e Prefeitura termina sem nenhum avanço para os servidores de Joinville I Foto: Aline Seitenfus
Sexta reunião entre Sinsej e Prefeitura termina sem nenhum avanço para os servidores de Joinville I Foto: Aline Seitenfus

Hoje (31/5) pela manhã aconteceu a última rodada de negociação agendada entre sindicato e Prefeitura. Novamente, não houve nenhum avanço para as reivindicações da categoria. Ao contrário, o prefeito Udo Döhler não formalizou nem mesmo a proposta de metade da inflação – menos de 2% – parcelada, que havia sido mencionada por ele em reunião anterior.

Chega de enrolação

A falta de resposta nas negociações mostra profundo desrespeito com os servidores. A inflação oficial, de 3,99%, é uma das menores da última década e o índice de gasto com a folha em relação à receita está estável, tendo fechado o último quadrimestre de 2017 em 48,8%. Este percentual está bem abaixo do limite estipulado pela Lei de Responsabilidade Fiscal, de 54%. No ano passado, os servidores de Joinville já amargaram a reposição da inflação parcelada, arcando com prejuízos.

A Prefeitura tem total condição financeira de atender as reivindicações dos servidores, que vão muito além da inflação. É preciso aumentar o valor do vale-alimentação; aplicar um terço de hora atividade – lei federal que vem sendo descumprida pela Prefeitura de Joinville há quase 10 anos; voltar a aplicar o direito estatutário de conversão de um terço de férias em abono pecuniário, de indenização e gozo de licença prêmio; realizar contratação imediata e abertura de concurso para suprir a demanda nas unidades; revogar a extinção do cargo das cozinheiras; entre várias outras questões, que trariam melhorias ao serviço, mas estão sendo sumariamente ignoradas por Udo Döhler. Grande parte da Pauta de Reivindicações, inclusive, não gera custos ao município, dependendo apenas da vontade do prefeito.

Todos à assembleia

É hora de reagir. A história da categoria mostra que os melhores resultados nas negociações com os governos são obtidos quando há massiva participação dos trabalhadores nas mobilizações coletivas. Amanhã (1º/6), haverá assembleia, às 19 horas, na Câmara de Vereadores, para avaliar a falta de respostas da Prefeitura e decidir se a categoria entra em greve. Cada servidor está convocado a participar e intervir, expondo suas impressões e as de seu local de trabalho. Participe e solicite a presença de seus colegas.

Apenas unidos, organizados e em luta poderemos resistir aos ataques contra nossos direitos e avançar nas conquistas.

Relembre o resultado das negociações:

Reunião de 23/5

Reunião de 11/5

Reunião de 5/5

Reunião de 27/4

Reunião de 18/4

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − cinco =