Servidores municipais que trabalham no recesso estão em greve

70% dos trabalhadores dos PAs aderiram à greve | Foto: Kályta Morgana de Lima
70% dos trabalhadores dos PAs aderiram à greve | Foto: Kályta Morgana de Lima

Leia também:

Prefeito tortura população agendando reunião sobre a greve apenas para sexta-feira

Saiba como agir se for convocado para substituir um grevista

Servidores em greve foram à Câmara de Vereadores

Os servidores que trabalharão durante o recesso, entre os dias 17 de dezembro e 1º de janeiro, entraram em greve na manhã desta segunda-feira (11/12). Eles reivindicam melhores condições de trabalho, reposição de materiais, contratação imediata de pessoal e fim do assédio moral. Além disso, buscam a volta e a regulamentação do abono que era pago até 2015 para quem trabalha neste período, enquanto diversas unidades estão fechadas. Às 8 horas de hoje o Sinsej contabilizou 70% de adesão dos funcionários dos Pronto Atendimentos (PAs) da cidade.

O início da greve foi deflagrado na terça-feira passada, em assembleia. O Sinsej comunicou o governo e solicitou abertura de negociações. No entanto, embora tenha enviado nota à imprensa se dizendo “aberta ao diálogo”, a Prefeitura não agendou nenhuma reunião. “De nossa parte queremos resolver o mais rápido possível para restabelecer o atendimento à comunidade”, ressaltou o presidente do sindicato, Ulrich Beathalter, na assembleia realizada com os trabalhadores no início da manhã. “Nossa expectativa é que se abra a mesa de negociação ainda hoje”.

Ao longo do dia, os servidores dos PAs visitarão o Hospital Municipal São José, o Detrans, a Vigilância Ambiental, entre outros setores que operam durante o recesso para dialogar com quem ainda não aderiu ao movimento. A concentração dos grevistas está instalada em frente à Prefeitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + 6 =