Categoria vota pela continuidade da greve

As palavras de ordem da assembleia de hoje (28) dos servidores de Joinville foram ecoadas dando a linha para os próximos passos do movimento: “É greve, é greve, é greve! Até que Udo Döhler pague tudo que nos deve!”. A decisão foi a reposta da categoria à intransigência do prefeito em não abrir a mesa de negociação, em manter a tramitação do PLC 3/2020 que aumenta a aliquota do Ipreville de 11% para 14% e não realizar concurso público.

“Não é possível voltar a trabalhar sem nenhuma abertura de diálogo, nem sobre os dias parados, nem sobre as negociações”, afirmou a presidenta do Sinsej Jane Becker.

Com o reforço da presidenta estadual da CUT Ana Julia Rodrigues, de dirigentes dos Sindicatos dos Metalúrgicos, Plásticos, Bancários de Florianópolis e da Regional Norte do Sinte, a solidariedade de classe mais uma vez ficou evidente na assembleia.

Agora, enquanto os comandos de greve seguem percorrendo os locais de trabalho conquistando mais adesão, os servidores aumentam a ocupação do gabinete, reforçam a vigília da resistência em frente a prefeitura e exigem negociação imediata. Uma nova assembleia está marcada para segunda (2) às 13h30 na Câmara de Vereadores. Mais do que nunca é hora de mostrarmos força e união!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

8 + treze =