Sinsej entrega ofício que exige ponto facultativo em Joinville

A direção do Sinsej protocolou um ofício solicitando que o ponto facultativo dos servidores públicos de Joinville seja mantido. O decreto 45.500/2022 revogou o ponto facultativo nos dias 28 de fevereiro e 1º de março, referentes ao carnaval. A justificativa da Prefeitura Municipal é garantir a segurança sanitária da população por causa da pandemia do coronavírus.

Os servidores atravessam um período muito desgastante por causa da pandemia e agora, diante de ataques e retrocessos ao servidor público, sem concursos públicos e sem aumentos de salário, o prefeito Adriano Silva (Novo) quer retirar o ponto facultativo de carnaval.

O governo do estado de Santa Catarina vai manter o ponto facultativo de Carnaval. Em outras cidades do estado, como Criciúma, Chapecó, Lages, Florianópolis e Blumenau, as prefeituras não retiraram os dias de folga.

O prefeito de Blumenau, Mário Hildebrant, revogou o ponto facultativo sob a mesma justificativa, mas voltou atrás porque o contágio diminuiu. O prefeito Adriano Silva (Novo) ainda não reconsiderou a melhora nos números de mortes e infectados em Joinville.

A direção do Sinsej exige a revogação do decreto 45.500/2022 porque servidoras e servidores precisam descansar. O ponto facultativo é uma conquista da classe trabalhadora e não pode ser revogado sem consultar servidores públicos. Prefeito Adriano Silva (Novo), devolva o ponto facultativo de carnaval!

Ofício Ponto Facultativo

 

As diretoras Zoe Dalri e Flávia Veiga entregaram ofício reivindicando ponto facultativo na Prefeitura Municipal de Joinville.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

17 + dezoito =