Campanha Salarial 2022: Governo apresenta proposta de reajuste inflacionário em abertura da mesa de negociação

A direção do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Joinville e Região (Sinsej) realizou nesta quinta-feira, 12 de maio, a primeira reunião com o prefeito Adriano Silva (Novo) para tratar da pauta da Campanha Salarial 2022. Neste primeiro encontro, foram discutidas apenas as cláusulas econômicas da campanha. A negociação com a equipe de governo continua na próxima segunda-feira, 16 de maio, quando as cláusulas sociais também serão debatidas.

O governo municipal apresentou à direção do Sinsej a proposta de reajuste salarial com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ou seja, de 6,5%. Quanto ao vale-alimentação dos servidores públicos, que não passou por nenhum reajuste em 2021, a Prefeitura de Joinville apresentou a proposta de reajuste de 19,71%, que seria a soma do período sem reajuste com os seis meses da campanha salarial de 2022.

“Esse reajuste proposto pelo prefeito Adriano Silva não chega nem perto da necessidade dos servidores públicos municipais de Joinville. Não se trata de valorização salarial. Está abaixo da nossa expectativa, é apenas a concessão do reajuste inflacionário”, afirmou Jane Becker, presidenta do Sinsej, logo após a reunião na prefeitura. “A intenção da prefeitura é encaminhar esse projeto para a Câmara de Vereadores com pagamento em parcela única, tanto do reajuste no salário quanto do vale-alimentação”, explicou Jane.

Além da presidenta do Sinsej, participaram da reunião, representando o sindicato, o diretor de Comunicação, Marcio Oliveira, e Andreia Ronchi Indalêncio, advogada. Além do prefeito Adriano Silva, a vice-prefeita, Rejane Gambin e outros secretários e assessores também participaram deste primeiro encontro, que durou pouco mais de uma hora.

Horas da pandemia

A partir da reivindicação do sindicato, o governo sinalizou que poderá abonar as horas dos servidores públicos que têm comorbidades e, por conta disso, não trabalharam durante a pandemia. Nas últimas semanas, o Sinsej recebeu uma série de relatos de servidores públicos nesta situação e que estão sendo cobrados por seus gestores pelas horas que se ausentaram do trabalho presencial por conta da pandemia e do grave risco de contágio.

Concurso público

O Sinsej também cobrou a prefeitura sobre a realização de concurso público em todas as áreas. Esta é uma pauta urgente e prioritária para o sindicato, pois só o concurso poderá suprir o déficit de servidores e melhorar o atendimento à população. O prefeito, no entanto, respondeu que logo deve realizar concurso para a Educação, mas não apresentou data. Para outras áreas, disse que há uma intenção, mas também sem previsão.

Continuidade da negociação

Após a próxima reunião com a prefeitura, o sindicato informará a categoria sobre a continuidade da negociação, esperando avançar na pauta de reivindicações. Todas as propostas apresentadas pela prefeitura serão apreciadas e deliberadas em assembleia geral convocada pelas redes sociais do sindicato.

Agentes Comunitários de Saúde

A presidenta do Sinsej, Jane Becker, aproveitou a oportunidade para exigir a imediata implantação da Emenda Constitucional 120, que estabelece o piso salarial dos Agentes Comunitários de Saúde e os Agentes de Combate às Endemias. Esta emenda foi promulgada pelo Congresso Nacional no último 5 de maio, após 11 anos de tramitação e luta dos trabalhadores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

cinco × dois =