Prefeito leva Servidores Municipais à Greve

Os Servidores Públicos do Município de Joinville estão às vésperas de iniciar uma greve. Por meio de seu sindicato, o Sinsej, os trabalhadores tem tentado desde março conversar com a Prefeitura a respeito de sua pauta de reivindicações que, além das questões de reajuste e recomposição salarial, contém outros 24 itens, alguns que sequer trazem impacto financeiro aos cofres públicos.
Para nossa surpresa, a Prefeitura se apresenta intransigente e negativa a qualquer pedido da categoria. E, além disso, investe em uma extensa campanha na mídia para jogar a população contra os servidores.
 
Qualquer trabalhador sabe o que é passar o ano vendo seu salário deteriorado pelo aumento dos preços. Depois de um ano, o mínimo que se espera é que o salário seja reajustado no mesmo índice da inflação. Mas a Prefeitura se nega a reajustar o salário dos servidores em parcela única, aumentando ainda mais nossa defasagem – que já supera os 30% nos últimos dez anos.
A justificativa do Prefeito é a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Mas ele esquece que a Constituição prevê em seu artigo 37 o direito à recomposição do salário dos servidores. A mesma LRF, inclusive, em seus artigos 22 e 71, garante a reposição da inflação.
Nós queremos continuar trabalhando e atendendo a população com qualidade, mas é impossível manter-se motivado tendo o salário diminuído e sofrendo com falta de material e condições de trabalho.
Está nas mãos do Prefeito impedir a greve do funcionalismo. Se a Prefeitura não dialogar abertamente com a categoria, só resta colocar em prática a deliberação da Assembleia Geral do dia 30/6, que programou uma paralisação no dia 13 de julho e a greve por tempo indeterminado a partir de 2 de agosto.
 
Há tempo para o Prefeito rever sua posição!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quatro × 4 =