Reivindicações novamente entregues a Döhler

Ocorreu na manhã de hoje reunião entre o prefeito eleito de Joinville, Udo Döhler, e o presidente do Sinsej, Ulrich Beathalter. Também participaram do encontro na sede do sindicato o vice-prefeito, Rodrigo Coelho, e a diretoria da entidade. Uma carta com 12 reivindicações da categoria foi entregue aos futuros administradores. “Sabemos que resolver os problemas da cidade passa por resolver os problemas dos servidores”, disse o presidente da entidade.

Döhler declarou disposição de um canal aberto de diálogo com o sindicato sobre as demandas da categoria. “O município não funciona se não tivermos o comprometimento do Servidor Público”, frisou. De acordo com ele, o futuro governo pretende promover formações dos trabalhadores da prefeitura e melhorar as ferramentas de trabalho. Porém, ele voltou a mencionar a intenção de implantar um sistema de meritocracia.

Ulrich disse ao futuro prefeito que a categoria acostumou-se a ouvir um discurso de “valorização agressiva dos servidores”, que nunca se reverteu em resultados práticos. Ele pediu esclarecimentos sobre o conceito de meritocracia defendido por Döhler e explicou que o sindicato defende uma possibilidade de ascensão aos trabalhadores com critérios claros e universais, previstos em plano de carreira.

O presidente do Sinsej também solicitou que as indenizações de licença-prêmio dos servidores voltem a ser pagas o quanto antes. Isso porque o governo Carlito Merss congelou-as por um longo período, voltou a pagá-las este ano após acordo da Campanha Salarial 2012 e, na semana passada anunciou novamente sua suspensão. Também foram tratadas a situação precária de alguns setores, como as Secretarias Regionais de Obras, e a necessidade de atenção para a saúde dos trabalhadores. Ulrich explicou que o aporte financeiro da prefeitura no Vitaserv só vem crescendo e o número de usuários diminuindo – já que estes não conseguem arcar com os custos do plano.

Segundo Döhler nenhum compromisso será assumido antes de a nova gestão assumir a prefeitura, mas ela estará “aberta ao diálogo”.

Ulrich informou que a pauta de reivindicações apresentada contém necessidades históricas do funcionalismo, mas que no início do próximo ano haverá uma assembleia dando início à Campanha Salarial 2013. Nela, as reivindicações serão precisadas e a uma pauta oficial será aprovada democraticamente.

Para ler o documento protocolado com as reivindicações, clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + treze =