Paralisação em Bauru coloca terceirizações em pauta

Propostas não avançam e trabalhadores cruzam os braços. Aproximadamente 160 funcionários da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL Paulista) paralisaram suas atividades na quinta-feira passada (18/7), em Bauru, São Paulo. A manifestação de 24 horas convocada pelo sindicato da categoria – SINDLUZ/ CUT – reivindicava principalmente valorização salarial, aumento de benefícios e melhorias das condições de trabalho, bem como o fim da precarização dos serviços e da terceirização do setor elétrico.

Os trabalhadores também se posicionam contra a desativação do Centro de Operações em Bauru e sua transferência para Campinas, o que poderá cortar 21 postos de trabalho na cidade.

Durante a paralisação o vereador de Bauru, Roque Ferreira (PT), que também é diretor do Sindicato dos Ferroviários de Bauru e Mato Grosso do Sul- CUT, falou aos trabalhadores sobre a importância do movimento e explicou o quanto são nocivos os processos de privatização e terceirização. Ele exemplificou com um dos primeiros setores totalmente privatizados no país, a Rede Ferroviária Federal, que após 13 anos nas mãos da iniciativa privada está “rigorosamente destruído”. Vale conferir o vídeo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − 1 =