Servidores de Blumenau deflagram greve

Fonte: CUT
Escrito por: Júlio Castellain

Após a decisão, servidorres seguriam pelo Centro de Blumenau. Foto: Julio Castellain
Após a decisão, servidorres seguiram pelo Centro de Blumenau. Foto: Julio Castellain

A decisão foi tomada em assembleia na tarde de do dia 05 de setembro, quando cerca de 2 mil trabalhadores do serviço público reuniram-se na praça da prefeitura, em Blumenau.

A categoria pretende garantir que o projeto de lei nº 6479/13, que trata do Plano Plurianual de Investimentos do próximo quadriênio (PPA 2014-2017), contenha a previsão de pagamento de direitos, como a Avaliação por Desempenho (que já possui decisão judicial favorável), e uma política de pagamento das perdas salariais históricas, que chega a 29,02%.

O projeto apresentado pelo governo municipal prevê apenas a reposição da inflação anual, estimada em 6% ao ano, mais o aumento vegetativo da folha, o que desagradou a categoria.

O Sindicato defende o aumento do percentual de comprometimento da receita com a folha de pagamento dos servidores, que hoje está em torno de 43%, nos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que é de 51,3% (margem prudencial).

A Câmara tem até o dia 14 de setembro para votar o PPA, embora a última sessão ordinária aconteça dia 12. Após a votação que decidiu pela greve os servidores realizaram uma passeata até a Câmara de Vereadores. A ordem é reforçar a mobilização em todos os locais de trabalho e lotar o plenário da câmara na segunda-feira, dia 9. A greve é pela garantia de direitos.

Câmara fará Audiência Pública sobre o PPA – Na segunda-feira, às 19 horas, a Câmara de Vereadores realizará uma Audiência Pública para discutir o PPA 2014-2017. O anúncio veio depois da reunião que aconteceu entre o Sintraseb (Sindicato Único dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Blumenau) e os membros da mesa diretora da Câmara, quando os representantes da categoria solicitaram aos vereadores alteração no projeto do PPA, visando garantir a previsão do pagamento de direitos dos servidores.

Relembrando a decisão do “Estado de Greve” – Na última assembleia da Campanha Salarial 2013, no mês de maio, os servidores decidiram entrar em “estado de greve”, insatisfeitos com a proposta econômica apresentada pelo governo (reajuste com base no INPC dos últimos 12 meses,7,16%, mais R$ 1 de reajuste no vale-alimentação, passando para R$ 13 por dia).

Na ocasião, os servidores decidiram aguardar a apresentação das propostas do PPA e da LOA para ver materializada as reais intenções do novo governo para com o servidor público municipal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

8 + dezesseis =