A luta pelo posto do Estevão de Matos

Comunidade e servidores buscam novo posto de saúde e fim dos problemas

Ato_Jardim_Edilene_5_PBb

Já são quase dois anos de sofrimento para as comunidades do Estevão de Matos, Jardim Edilene e Morro do Amaral. São problemas como o pouco espaço e a falta de condições para um atendimento adequado. O posto do Estevão de Matos foi fechado em março de 2012. Desde então, a população da região precisa se deslocar até a unidade de saúde do Jardim Edilene.

A situação gerou indignação de moradores e profissionais da saúde. Várias mobilizações foram feitas para pressionar a Prefeitura de Joinville. Como não eram apresentadas soluções, manifestações ocorreram em 2013 e 2014. A última foi dia 24 de fevereiro. Em pauta, o prazo dado pela Prefeitura para abrir um posto em prédio alugado no Estevão de Matos.

O cronograma sugerido pelo governo Udo Dolhër (PMDB) prometia a nova unidade para 3 de março. Mas a própria Secretaria da Saúde pediu mais tempo. A comunidade e os servidores deram o prazo de 3 de julho para a inauguração do estabelecimento. Junto às promessas, foi planejada a entrega de uma estrutura própria para a unidade em abril de 2015.

Dia 26 de fevereiro, um fato novo piorou a situação. A Vigilância Sanitária proibiu a atuação da equipe do Estevão de Matos no prédio do posto vizinho. Assim, a comunidade dessa região ficou sem atendimento de saúde. Os motivos da interdição foram as péssimas condições denunciadas há meses pelos trabalhadores e a comunidade.

A próxima manifestação será dia 10. Em cobrança, estará o prazo para inauguração e o fim dos problemas. Também serão exigidos os compromissos assumidos pela Prefeitura para amenizar a situação imediatamente. A população está convidada a ir até a frente da Prefeitura se manifestar. O Sinsej disponibilizará ônibus às 8 horas da manhã, em frente ao posto Jardim Edilene, para as pessoas que precisarem de carona.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 2 =