Sinsej convida MP a conhecer realidade das escolas

Causou estranheza ao Sinsej a notícia veiculada no Jornal A Notícia sobre o interesse do Ministério Público na Escola Estadual João Martins Veras, que fica no Anita Garibaldi. A nota foi publicada ontem (12/2), na coluna AN Portal.

A Martins Veras é mais uma das inúmeras escolas de Joinville, das redes estadual e municipal, que iniciaram 2015 sem condições de receber os alunos. Nessa unidade, o problema é a falta de estrutura elétrica para suportar a climatização de todas as salas.

Com o calor dos últimos dias, a situação torna-se prejudicial à saúde de estudantes e servidores. Diante disso, pais e professores daquela comunidade decidiram que não iniciariam as aulas até que os aparelhos de ar-condicionado estivessem funcionando. A gerência de Educação, ao invés de resolver o problema, reclamou à promotoria da Infância e da Juventude, que chegou a cogitar a responsabilização criminal dos pais que não mandassem seus filhos à escola.

Curioso é relembrar que o Ministério Público não interfiriu quando, em 2014, Udo Döhler, impediu que os servidores da rede municipal repusessem horas que paralisaram em defesa de seus direitos. Na oportunidade, a motivação do prefeito era de clara punição aos grevistas, com desconto de salário, e a promotoria não questionou se alunos e pacientes, por exemplo, seriam prejudicados.

O Sinsej convida a promotoria da Infância e da Juventude a conhecer de perto a realidade das escolas João Martins Veras, Plácido Xavier Vieira, Vereador Arinor Vogelsanger, Paulo Medeiros, Professor Orestes Guimarães, Valentim João da Rocha, entre muitas outras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

cinco × 5 =