Aumento da possibilidade de empréstimos

Por solicitação do Ministério Público do Trabalho, a Prefeitura de Joinville modificou as margens para consignados em folha de pagamento. Antes, apenas 10% do salário dos servidores poderia ser retido na fonte para o pagamento de empréstimos e 20% eram destinados a compras em lojas e utilização de serviços. Agora, a possibilidade de consignação com bancos e financeiras aumentou para 30%.

O Sinsej considera essa modificação nociva aos trabalhadores. Segundo dados divulgados pelo Banco Central, 46,3% da renda das famílias brasileiras está comprometida com dívidas. Em tempos de crise econômica, cortes de direitos e baixos salários, o aumento da possibilidade de endividamento é uma tática para criar a ilusão de que há mais dinheiro disponível.

Assédio dos bancos

Em Joinville, a simples alteração dos índices que podem ser empregados em cada caso já despertou a cobiça das instituições financeiras da região. Servidores relataram que está ocorrendo um forte assédio de bancos, oferecendo empréstimos para pagamento em até 96 meses.

Essa situação vai agravar um problema que já vinha crescendo. Em janeiro de 2013, início do governo de Udo Döhler, havia cerca de 3 mil contratos entre servidores e financeiras. Em meados de 2015 esse número já ultrapassa os 15 mil.

Dívidas X Saúde

O Sinsej orienta os servidores a evitarem contratar empréstimos quando eles não forem estritamente necessários. O endividamento crônico leva ao desânimo e a diversas doenças psicológicas.  O Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo (USP) já provou que 80% das pessoas que acumulam débitos sofrem de depressão e ansiedade. Um estudo da Universidade de Southampton, no Reino Unido, mostrou que as dívidas também podem estar relacionadas a desordens alimentares, ao uso de álcool e drogas, à psicose e até mesmo ao suicídio.

Lutar por melhores condições de vida

O aumento do crédito é uma política de governo para retardar e maquiar os efeitos de uma crise financeira que é inerente ao sistema capitalista. Isso começa em escala nacional e acaba atingindo até mesmo os servidores municipais de Joinville.  A única forma de realmente elevar as condições de vida é organizar-se para exigir aumento de salários, melhoria na carreira e garantia de direitos. Neste momento, o que ocorre em todo o mundo é uma queda de braço para impedir que sejam os trabalhadores a pagar por uma crise que não causaram.

Serviços do sindicato

A mensalidade do Sinsej foi preservada no decreto que instituiu essa nova regra. Ela será descontada em folha para além dos 30% permitidos com consignações. No entanto, outros serviços da entidade, como o consultório odontológico e a sede praiana, podem ser prejudicados caso um grande número de servidores comprometa-se com empréstimos. Isso porque atualmente muitas pessoas utilizam esses benefícios descontando-os diretamente da fonte. O Sinsej orienta os servidores a não destinarem sua margem total a financeiras, reservando-a para possíveis emergências, como uma consulta odontológica ou a compra de um remédio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × cinco =