Continua a Campanha Salarial em Joinville

Servidores de Joinville decidiram manter o estado de greve I Foto: Aline Seitenfus
Servidores de Joinville decidiram manter o estado de greve I Foto: Aline Seitenfus

Os servidores de Joinville decidiram hoje (29/3), em assembleia com paralisação, manter o estado de greve. Na última reunião entre Sinsej e Prefeitura, Udo Döhler foi taxativo ao afirmar que não iria conceder qualquer percentual de ganho real, nem melhorar a forma de pagamento da inflação.

A data-base da categoria é 1º de maio e a Campanha Salarial havia sido adiantada porque em ano eleitoral os benefícios acima da inflação só podem ser concedidos até 5 de abril. No entanto, diante da negativa do prefeito em relação ao ganho real e da proximidade do prazo, a categoria não viu motivos para aprovar uma proposta de parcelamento tão nociva.

Diante disso, os servidores continuarão construindo a mobilização da categoria. Eles exigem a reposição do INPC em sua totalidade na data-base. Uma nova assembleia foi agendada para 27 de abril, às 19 horas, no Sinsej. “É inadmissível essa proposta apresentada pelo governo. O prefeito tem orgulho de dizer que nunca na história da cidade os fornecedores foram pagos em dia como acontece hoje. O lucro deles está garantido, mas nós, os servidores, não temos nem a inflação na data-base”, disse o presidente do Sinsej, Ulrich Beathalter.

Texto atualizado em 11/2

Continua A Campanha Salarial Em Joinville

Flickr Album Gallery Powered By: WP Frank

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − 4 =