Garuva não aceita parcelamento

Servidores de Garuva não aceitam parcelamento da inflação I Foto: Aline Seitenfus
Servidores de Garuva não aceitam parcelamento da inflação I Foto: Aline Seitenfus

Na noite de ontem (12/4) os servidores de Garuva reuniram-se em assembleia e discutiram a aprovação da lei que prevê a reposição da inflação parcelada em três vezes. Os trabalhadores não aceitaram essa imposição do prefeito José Chaves. Com o parcelamento oferecido, cada servidor terá um prejuízo no valor aproximado de 51% de um salário. Ou seja, um trabalhador que recebe R$ 1 mil acumulará perdas de cerca de R$ 510 até novembro – data da última parcela.

Chaves agiu de forma arbitrária, sem aceitar qualquer tipo de diálogo, concedendo apenas o mínimo que a lei municipal exige. A categoria pede que o prefeito abra a mesa de negociação com o sindicato. Também que o projeto seja revogado e a reposição feita em parcela única, retroativa ao mês de abril, data-base dos servidores.

Uma nova assembleia foi marcada para o dia 12 de maio, às 19 horas, na sede do Sinsej. A presença de todos é indispensável, pois serão decididos os novos encaminhamentos da Campanha Salarial 2016.

Denúncias

Os trabalhadores também denunciaram diversos abusos que vêm sofrendo por parte das chefias imediatas, como a proibição de retirada de atestados e férias. Além disso, há falta de remédios e materiais básicos de higiene, como papel higiênico e copo descartável.

“É um absurdo esse posicionamento da Prefeitura com os seus trabalhadores. Precisamos nos unir e lutar pelos nossos direitos”, disse a secretária do Sinsej, Mara Lúcia Tavares.

O sindicato aguarda o agendamento da reunião com o governo para que esses assuntos possam ser pautados, juntamente com a reposição da inflação.

Pagamento do FGTS

Outro ponto discutido na assembleia foi o liberação do FGTS aos trabalhadores da saúde que passaram do regime celetista ao estatutário. Na próxima terça-feira (19/4), a diretoria do Sinsej e o Jurídico farão uma reunião sobre o assunto. Será às 19 horas, na sede do sindicato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − 2 =