Assembleia pode deflagrar greve em Itapoá

Servidores de Itapoá paralisaram suas atividades na manhã desta terça-feira I Foto: Aline Seitenfus
Servidores de Itapoá paralisaram suas atividades na manhã desta terça-feira I Foto: Aline Seitenfus

Hoje (31/5) pela manhã os servidores de Itapoá realizaram uma paralisação em frente à Prefeitura. Os trabalhadores protestam contra o anúncio de corte de gratificação que pode representar de 30% a 60% dos seus salários. Também se posicionaram contra a retirada da Câmara de Vereadores do projeto que previa a reposição da inflação aos servidores.

Durante o ato, diretores do Sinsej e servidores participarem de reunião com uma equipe do governo. Porém, nenhuma resposta foi dada. Os secretários do governo falaram somente em crise, cortes de gastos e da impossibilidade de tomar decisões sem a presença do prefeito Sergio Aguiar.

Greve não está descartada

Amanhã (1/6), às 19 horas, os trabalhadores participam de assembleia na Câmara de Vereadores. Caso o prefeito não volte atrás das duas medidas, a categoria poderá deflagrar greve. O presidente do Sinsej, Ulrich Beathalter, convocou todos os servidores a participarem da assembleia e lutarem pela permanência e cumprimento dos seus direitos. “Não existem motivos para justificar essa ação da Prefeitura. Não fomos nós que criamos essa crise, não cabe a nós pagarmos por ela”, disse Ulrich.

Tire aqui suas dúvidas sobre o direito de greve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − 8 =