Prefeito de Itapoá não cumpre acordos

O mandato do prefeito de Itapoá, Sergio Aguiar, chega ao fim da mesma forma que iniciou: desrespeitando o servidor e descumprindo os acordos de Campanha Salarial e greve.

Gatilho Salarial

O gatilho salarial foi uma conquista dos servidores na Campanha Salarial 2015. A partir de 2016 ele deveria ser colocado em prática. Contudo, Sergio recuou, não concedeu o direito com o qual havia se comprometido e não enviou o projeto à Câmara de Vereadores.

Eleição para diretores de escola

Outro acordo não cumprido, da Campanha Salarial de 2015, é a aprovação do projeto para eleição dos diretores escolares, para atuação já em 2017. Em vez de manter sua palavra com a categoria, Sergio decidiu entregar sua autoridade ao Conselho Municipal da Educação – que se posicionou contra o projeto. Com isso, Sergio prestou um desserviço aos profissionais do magistério. Ao contrário do que o Conselho afirma, o Sinsej garantiu a participação dos servidores no processo, discutiu o assunto amplamente, além de enviar o projeto aos representantes e demais trabalhadores para que propusessem alterações se quisessem.

Insalubridade

Depois da retirada da insalubridade de diversos servidores, o Sinsej solicitou o laudo técnico à Prefeitura de Itapoá, porém, não houve nenhum retorno. Como o governo retira direitos dessa forma, sem nem ao menos apresentar as justificativas?

Abono Natalino

Como se não bastasse não cumprir com os acordos assinados, o prefeito decidiu deixar de pagar o abono natalino à categoria. Um descaso que torna ainda mais evidente a falta de interesse de Sergio em prezar pelo serviço público.

Unidade, organização e luta

O prefeito só não retirou mais direitos dos servidores porque houve mobilização e luta da categoria. Conquistas como a reposição salarial e do vale alimentação só foram possíveis com a organização dos trabalhadores. É importante que a categoria continue unida contra todos os cortes e ataques. O serviço e os servidores públicos, que são essenciais para a cidade, precisam ser valorizados. É dessa forma que o ano de 2017 precisa começar, com muita organização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + 18 =