Vereadores retomam hoje tramitação de projeto que poderá reduzir nossos salários em 3%

Enquanto os servidores salvam vidas, lutam contra o avanço do coronavírus e arriscam as suas vidas e de suas famílias para manter os serviços públicos funcionando, o prefeito Udo Döhler (MDB) segue sua trajetória de ataque à categoria que o coloca no topo do ranking de pior prefeito da história de Joinville.

A bola da vez é o Projeto que reduz o salário da categoria em 3%. Isso mesmo, como se não bastasse se negar a negociar a Campanha Salarial com o Sindicato, em que a categoria pede a reposição da inflação e reajuste de 8% de modo a recuperar parte de suas perdas históricas, agora o prefeito patrão quer aumentar a alíquota paga pelos servidores ao Ipreville de 11% para 14%.

Depois de ter sua tramitação suspensa em fevereiro por conta da pressão popular, agora o Projeto de Lei Complementar 003/2020 retorna para pauta na Câmara de Vereadores nesta segunda-feira (24) às 15 horas na reunião virtual da Comissão de Legislação, Justiça e Redação. Se o projeto for aprovado os servidores públicos de Joinville sofrerão uma grave perda de poder aquisitivo. Vejamos o exemplo de um servidor ativo que receba um salário de R$ 2.500,00: atualmente ele recolhe ao Ipreville 11% deste valor que é o equivalente a R$ 275,00, recebendo R$ 2.225,00 (sem contar demais descontos ou acréscimos). Com o aumento da alíquota para 14% o desconto será de R$ 350,00, um acréscimo de R$ 75,00 que irá reduzir seu salário para R$ 2.150,00.

Agora, descumprindo o acordo feito com a direção do Sinsej de promover uma audiência pública que esclareça sobre a realidade financeira do Instituto, os vereadores retomam a tramitação abonando a justificativa do projeto que se baseia, entre outros argumentos, em um Estudo de Impacto Autorial para responsabilizar a categoria a pagar por uma dívida de quase R$ 1 bilhão resultante dá má gestão e da falta de arrecadação da própria Prefeitura. Contraditoriamente em julho, os mesmos vereadores, aprovaram o projeto do prefeito Udo que resultou em um calote de R$ 147 milhões no Ipreville, dessa vez alegando superávit nas contas do instituto.

Por isso a direção do Sinsej está promovendo uma grande campanha de mobilização envolvendo não apenas a categoria, mas a população, para que acompanhem a sessão virtual nesta segunda-feira (24) e pressionem os vereadores a não aprovarem esta grave redução salarial que irá prejudicar milhares de famílias em Joinville. A reunião virtual da Comissão será transmitida no canal do Youtube da Câmara a partir das 15h.

Acesse aqui o  Canal da Câmara no Youtube

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quatro + 14 =