Sindicato quer fechar 100% das agências bancárias em Londrina

http://londrina.odiario.com / Por Alexandre Sanches

Os vigilantes de Londrina e região devem intensificar ainda mais o movimento nesta quarta-feira (2), no segundo dia de greve da categoria. A previsão do Sindicato dos Vigilantes em Londrina e Região é que em Londrina sejam fechadas 100% das agências bancárias.

Na terça-feira (1º), o Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado do Paraná (Sindesp) recusou a proposta intermediada pelo Ministério Público do Trabalho no Paraná (MPT-PR), dificultando as negociações para suspender a greve do setor. o procurador do Trabalho, Alberto de Oliveira Neto, propôs o reajuste de 7% que elevaria o piso salarial da categoria de R$ 966,00 para R$ 1.066,00, adicional de risco de 13% sobre o salário (R$ 139,00) e vale alimentação no valor de R$ 14,00.

A proposta agradou os reprsentantes da Federação dos Vigilantes do Paraná (Fetravispp) e do Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região (Sindivigilantes), que participaram da audiência, mas não foi aceita pelo Sindesp

O presidente do Sindicato dos Vigilantes de Londrina e Região, Orlando Freitas, disse que a proposta feita à categoria ainda não é a ideal, mas já abria um canal de negociação com as empresas. “Infelizmente eles não aceitaram a proposta, o que deve fazer com que intensifiquemos ainda mais o nosso movimento em Londrina e região. Queremos fechar 100% das agências bancárias na cidade nesta quarta-feira”, declarou.

No primeiro dia de greve, cerca de 85% das agências foram fechadas. Uma lei federal determina que os bancos só podem permanecer abertos com pelo menos dois vigilantes trabalhando. O Sindicato dos Bancários de Londrina também está acompanhando o movimento dos vigilantes para evitar que as agências abram as portas sem o mínimo de segurança para funcionários e clientes. “A greve é dos vigilantes. Estamos apenas garantindo que os bancos respeitem a legislação. No primeiro dia de greve percebemos que houve o bom senso dos gestores das agências bancárias, respeitando a legislação, tanto em Londrina, como na região”, avaliou o presidente da entidade, Wanderley Crivellari.

“Fizemos uma assembleia na terça-feira à noite da categoria e percebemos que a greve será mais intensa hoje”, assegurou Orlando Freitas. Nesta quarta-feira, em Curitiba, o MPT-PR deve tentar uma nova intermediação entre os representantes dos sindicatos em audiência marcada a partir das 13 horas.

Leia mais >>>

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

cinco × um =