Proposta será votada amanhã

Assembleia esteve lotada novamente

Ficou para amanhã (17/6) a votação da proposta apresentada ontem pela Prefeitura em formato de projeto de lei. Na assembleia de hoje, os servidores em greve concordaram que antes da votação é preciso observar o comportamento dos parlamentares na Câmara de Vereadores e estudar o rumo do movimento grevista a partir da decisão tomada pela categoria.

O presidente do Sinsej, Ulrich Beathalter, afirmou que é necessário colocar em prova o discurso dos vereadores. “Tínhamos, ou achávamos que tínhamos, o apoio desse poder, mas ontem tivemos uma prova vindoura de que isso não é verdade”, afirmou referindo-se à maneira como o projeto foi construído, sem negociação com o sindicato.

Os diretores falaram ainda sobre os riscos e possibilidades diante da continuidade da paralisação. A categoria chega agora a um dos momentos mais difíceis da greve, que é o de analisar os fatos cruamente. Ainda assim, independente da escolha tomada pela maioria na assembleia de amanhã, o Sinsej reafirma que estará ao lado dos servidores até o fim.

Desde às 13 horas o Conselho de Greve voltou a se reunir no sindicato. Às 17 horas, todos os servidores irão à Câmara de Vereadores pressionar para que o projeto não seja votado. Amanhã, os trabalhadores se reúnem novamente em assembleia, às 9 horas, em frente à Prefeitura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

16 + oito =