Marcada reunião na SGP

O Sinsej reúne-se amanhã (5/7), às 9 horas, com representantes da Prefeitura na Secretaria de Gestão de Pessoas (SGP). A audiência foi solicitada pelo sindicato na semana passada, após a divulgação de medidas que caracterizam o descumprimento de partes do acordo de greve.

Na quinta-feira (30/6), a Prefeitura informou por meio do Jornal A Notícia que o salário dos servidores que participaram da greve será pago apenas no dia 15. De acordo com a secretária de Gestão de Pessoas, Márcia Streit, o atraso é uma obrigação legal, pois a folha já estava fechada quando a lei que trata do reajuste e das reposições foi aprovada.

Para o Sinsej, a medida é apenas mais uma forma de punir os servidores. Em 2010, a greve acabou em 27 de agosto e uma semana depois o pagamento foi creditado, inclusive com um acréscimo de 1%. Este ano a greve terminou em 17 de junho, mais de duas semanas antes do dia do pagamento.

A reposição das horas paradas também está sendo difícil em muitos setores. A escala deveria ser planejada em comum acordo entre chefias e servidores, respeitando a necessidade dos serviços e a disponibilidade dos trabalhadores. Porém, o que temos visto são chefias querendo impor seus desmandos.

Outra situação que precisa ser discutida urgentemente é o auxílio alimentação. Uma interpretação maldosa da lei que substitui a cesta básica fez com que a Prefeitura retirasse o benefício de uma parcela dos Agentes de Saúde Pública. Além disso, os servidores tiveram os dias de greve descontados dos R$ 150, creditados em dinheiro dia 30 de junho (a cesta básica deveria ser substituída pelo vale alimentação, mas, como a licitação ainda não foi feita, o benefício pôde ser pago em espécie).

Na Justiça

Caso o pagamento dos servidores que entraram em greve realmente não seja creditado na quarta-feira (6/7), o Sinsej entrará imediatamente com um mandado de segurança. Na quarta-feira (6/7), a assembleia da categoria também decidirá sobre outras três ações: 1) pedindo o pagamento integral do vale alimentação, 2) solicitando indenização pelo não pagamento na data-base e 3) pedindo o abono dos dias parados e a não inscrição dos dias de greve como falta injustificada.

Estado de greve

A categoria encontra-se em estado de greve e deve continuar mobilizada, principalmente diante dos ataques da Prefeitura, que ainda não cessaram. Compareça à assembleia marcada para a próxima quarta-feira (6/7), às 19 horas, na sede do sindicato.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

8 − sete =