Trabalhadores de Joinville em luta

A classe trabalhadora está em movimento. Foram poucos os momentos na história em que Joinville viu tantas mobilizações em defesa da conquista e ampliação de direitos. O Sinsej é parte importante dessa história. Não foram poucas as vezes que repetimos que a greve dos servidores em 2011 abriu os olhos de toda a classe trabalhadora da cidade.

Na segunda-feira (9/4), a Fundição Tupy amanheceu em greve. Milhares de trabalhadores cruzaram os braços em defesa de reajuste salarial, participação de lucros maior, fim do revezamento e licença maternidade de seis meses. Eles paralisaram a fábrica por 36 horas e estavam dispostos a resistir muito mais. Ao mesmo tempo, trabalhadores da Wetzel e da Schulz também queriam parar.

Hoje, o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Material Plástico de Joinville estampou na capa dos dois maiores jornais da cidade editais anunciando estado de greve da categoria e convidando para uma assembleia com todas as entidades sindicais da cidade na próxima quarta (18/4).

Os professores da rede estadual também vão se reunir em assembleia na terça-feira (17/4) para decidir se entram em greve. Eles lutam pela implantação do reajuste de 22,22% no piso, pela recuperação da tabela salarial, pelos 33,33% de hora-atividade e por melhores condições de trabalho.

Em nome dos servidores públicos municipais de Joinville, Garuva e Itapoá, o Sinsej parabeniza todos estes trabalhadores em luta e coloca-se à disposição para o que for necessário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

2 × 3 =