Assembleia discutiu estrutura política e financeira

Decisões foram unânimes. Foto: Francine Hellmann
Decisões foram unânimes. Foto: Francine Hellmann

Em assembleia na noite de ontem (12/6), os servidores aprovaram a devolução do imposto sindical da categoria pelo segundo ano consecutivo e a alteração na forma de cobrança da mensalidade do Sinsej. Também foram solucionadas dúvidas do pós-greve e iniciada uma discussão sobre a reformulação do estatuto do sindicato.

Imposto Sindical

As regras para a devolução do imposto serão as mesmas de 2012. Qualquer servidor de Joinville e Itapoá que desejar receber, independente de ser filiado, deve entregar o requerimento no sindicato durante o mês de julho. Os trabalhadores de Garuva ainda não podem gozar deste benefício porque a Prefeitura não repassou o imposto sindical ao Sinsej.

O valor devolvido vai corresponder a 60% do que foi retido na folha de março, descontadas taxas bancárias. Isso porque os 40% restantes são divididos entre a federação, confederação, central sindical e governo. A devolução será feita entre os meses de agosto e outubro, por meio de depósito na conta informada pelo servidor.

Leia o passo a passo para a devolução aqui.

Mensalidade do Sinsej

Hoje só há duas faixas de mensalidade no Sinsej: R$ 11,60 para quem recebe até R$ 1 mil e R$ 14,51 para quem ganha acima disso. Na assembleia de ontem, o presidente do Sinsej, Ulrich Beathalter, explicou que este sistema é injusto. “Hoje um companheiro que ganha R$ 1 mil paga o mesmo que um que recebe R$ 5 mil”, disse. Para corrigir isso, a proposta aprovada pela assembleia foi de passar a cobrança para 1% do salário base de cada associado. Este modelo é o adotado pela maioria das entidades sindicais do país. Com ele, a contribuição de alguns servidores poderá subir, mas a de outros irá baixar.

Conselho de Representantes

A assembleia também definiu a reorganização do Conselho de Representantes por Local de Trabalho. Para isso, a partir de agora os diretores do Sinsej passarão nas unidades para organizando eleições. Os servidores devem discutir em seus locais de trabalho, refletindo se manterão o último representante escolhido ou se escolherão um novo.

Estatuto do Sinsej

O Estatuto do Sinsej foi formulado em 1988 e desde então não sofreu modificações significativas. Ele possui uma estrutura autoritária e antidemocrática, que dá ao presidente o poder de decisão sobre todos os encaminhamentos políticos da entidade.

A atual direção possui uma nova proposta para este documento, criando o Congresso e o Conselho de Representantes e tornando-os instâncias deliberativas do Sinsej. Hoje, só há duas assembleias obrigatórias: de orçamento e de prestação de contas. Com a nova proposta, a direção sindical seria obrigada também a chamar uma assembleia para discutir a campanha salarial e colocar em apreciação qualquer proposta da Prefeitura.

Muitas destas melhorias já foram colocadas em prática desde 2010, quando o grupo político da atual direção assumiu o Sinsej, mas é preciso ampliá-las e regulamentá-las, para que tais conquistas mantenham-se no futuro.

Os diretores do Sinsej pretendem divulgar o máximo possível esta nova proposta e voltarão a discutir o assunto em nova assembleia.

Leia a nova proposta de Estatuto do Sinsej

 

Confira o atual Estatuto do Sinsej

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

três × 2 =