Roque Mattei falta com a verdade na Câmara

Na última reunião da Comissão de Legislação da Câmara de Vereadores de Joinville, em 18 de agosto, o secretário de Educação do município, Roque Mattei, esteve presente para dar esclarecimentos sobre a reposição de horas da greve na rede de ensino. Na oportunidade, ele afirmou categoricamente que a compensação deve ser cumprida “em tempo”, ou seja, em atividades fora de sala de aula. No entanto, Mattei faltou com a verdade, pois as direções escolares estão exigindo reposição com alunos.

Assista ao vídeo da comissão:

A Comissão de Legislação discutia a emenda do vereador Adilson Mariano ao projeto de lei 219/2014, de autoria do Executivo. A matéria da Prefeitura permite a reposição apenas do período entre 20 e 29 de maio e transforma os dias 19 e 31 de maio em pontos facultativos. A emenda do parlamentar substitui esse texto pela possibilidade de compensação de todos os dias da greve, que se estendeu até 12 de junho.

O vice-presidente do Sinsej, Tarcísio Tomazoni Junior, que tem acompanhado esta discussão na Câmara, rebateu a afirmação do secretário de Educação. “Que milagre é esse que tem milhares de professores em greve e as escolas conseguem funcionar?”, questionou. “A escola pega seis, sete turmas, desce para o pátio e fica cuidando. Não tem ensino nenhum aqui”.

Para o Sinsej, a Prefeitura está agindo em contradição e precisa escolher: ou reconhece que houve prejuízo ao conteúdo e permite a reposição de todos os dias ou comunica aos professores que a compensação é sem alunos.

O sindicato enviou novo ofício à Prefeitura e defende que os servidores grevistas de todas as áreas tenham o direito de repor à comunidade os trabalhos represados durante a paralisação. Para Tomazoni, o governo Udo e os parlamentares devem isso à cidade.

Assista ao vídeo completo da Comissão de Legislação, Justiça e Redação, de 18/8/2014:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

1 + 1 =